X

Superior Tribunal de Justiça

Maria Thereza é eleita presidente do STJ e será 2ª mulher a chefiar a Corte

A vice-presidência ficará com o ministro Og Fernandes

PAULO ROBERTO NETTO, da Folhapress

Publicado em 11/05/2022 às 11:57

Atualizado em 11/05/2022 às 12:13

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Superior Tribunal de Justiça / Marcello Casal - Agência Brasil

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) elegeu nesta quarta-feira (11) a ministra Maria Thereza de Assis para presidir a Corte no biênio 2022-2024. Ela será a segunda mulher a chefiar o tribunal desde a sua instalação, em 1989, e tomará posse em agosto.

A vice-presidência ficará com o ministro Og Fernandes. Para a corregedoria-geral, o plenário inicialmente votou em Herman Benjamin, mas o ministro abriu mão da posição por motivos pessoais. Por critério de antiguidade, o cargo foi destinado ao ministro Jorge Mussi, que também recusou o cargo. O ministro Luís Felipe Salomão assumirá o cargo.

Considerada entre os pares como uma ministra de perfil técnico e da "ala independente" do STJ, Maria Thereza substituirá o atual presidente, Humberto Martins, um dos cotados no ano passado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) ao STF

Maria Thereza foi nomeada ao STJ pelo ex-presidente Lula (PT) e está há quinze anos na Corte. Atualmente no posto de corregedora-nacional de Justiça, a ministra já presidiu a 6ª Turma e a 3ª Seção, que discutem Direito Penal e Previdenciário.

Como ministra do STJ, Maria Thereza ocupou uma cadeira no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) entre 2014 e 2016 - posição que lhe fez ser relatora, por um breve período, da ação do PSDB que pedia a cassação da chapa Dilma-Temer.

Maria Thereza chegou a arquivar o processo em decisão monocrática, mas o entendimento foi revertido pelo plenário do TSE meses depois. Na ocasião, a ministra sinalizou que não gostaria mais de relatar o processo, mas foi indicada pelo então presidente do TSE, ministro Dias Toffoli, para cuidar do caso.

2ª PRESIDENTE DO STJ DESDE 1989

Maria Thereza ocupará a presidência do STJ a partir de agosto, e ficará no cargo até 2024. Será a segunda mulher a comandar o tribunal desde a sua instalação, em 1989. Antes dela, a primeira foi a ministra Laurita Vaz (gestão 2016-2018).

A votação entre os ministros é meramente simbólica. Maria Thereza é hoje a integrante mais antiga que ainda não ocupou a presidência. A nova presidente, porém, compõe uma minoria dentro do ambiente majoritariamente masculino do tribunal.

Composto por 33 integrantes, o STJ conta com apenas 6 ministras. A última mulher nomeada à Corte foi a ministra Regina Helena Costa, indicada por Dilma Rousseff (PT) em 2013.

Nesta quarta, o plenário elaborou uma lista quádrupla para preencher duas vagas em aberto no tribunal. Todos os escolhidos eram homens.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

OPERAÇÃO NO CENTRO DE SP

Ação da PM contra jogos de azar destrói mais 170 máquinas caça-níquel em SP

Operação Impacto-Centro prendeu mais de 60 pessoas no centro de São Paulo

Futebol

Ronaldinho Gaúcho desiste de torcer para o Brasil na Copa América

Lenda da seleção afirmou em podcast que não vai acompanhar as partidas da Seleção

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter