X

INICIATIVA CARIOCA

Museu do Amanhã leva projeto itinerante ao Maranhão e ao Pará

Pela primeira vez uma exposição promovida pelo Museu do Amanhã vai ser apresentada em outras cidades

Yasmin Gomes

Publicado em 27/03/2024 às 13:30

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

A mostra vai apresentar a biodiversidade e o conhecimento milenar do maior bioma tropical do mundo / Tomaz Silva/Agência Brasil

Realizada entre 2021 e 2022 no Rio, a exposição Fruturos - Tempos Amazônicos, apresentada pelo Instituto Cultural Vale, será apresentada no Centro Cultural Vale Maranhão, em São Luís, do dia 27 de março a 30 de maio. Depois seguirá para as cidades de Canaã dos Carajás, Parauapebas e Belém, no estado do Pará.

Siga as notícias da Gazeta de S.Paulo no Google Notícias

Pela primeira vez, uma exposição promovida pelo Museu do Amanhã e Instituto de Desenvolvimento e Gestão vai ser apresentada em outras cidades.

A mostra vai apresentar a biodiversidade e o conhecimento milenar do maior bioma tropical do mundo além de propor novas descobertas sobre a relação entre a floresta e o clima e evidenciar o caráter urgente de sua conservação.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Uma das principais características do projeto de itinerância é a adequação e customização da mostra de acordo com o destino. É possível, por exemplo, que a exposição ganhe diferentes formatos e tamanhos a cada cidade.

Em cada parada, um artista local será convidado para oferecer sua perspectiva sobre o futuro da Amazônia.

Convidado de São Luís

O artista visual, fotógrafo e cineasta Paulo Desana é o convidado em São Luís e promoveu uma oficina com indígenas do Maranhão. Juntos, produziram novas obras inspiradas nas mitologias indígenas do estado, tendo como base a obra Os Espíritos da Transformação, de Paulo Pamürɨmasa..

Para a construção dos elementos visuais presentes em Fruturos - Tempos Amazônicos, foi realizada uma pesquisa coletiva dos grafismos/pinturas tradicionais do Maranhão e, em seguida, pintados em rostos indígenas. Para o registro fotográfico, foi utilizada tinta neon. O resultado são fotos intensas e coloridas, fazendo com que as pessoas se tornassem telas de pinturas brilhantes.

A mostra é dividida em sete áreas que abordarão temas como fauna, flora, povos e cultura. Ao longo da exposição, o visitante poderá se sentir parte da floresta a partir da ambientação, que trará atividades interativas, elementos que revelam a diversidade da Amazônia e a atmosfera sonora da região.

*Texto sob supervisão de Bruno Hoffmann

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

MOBILIDADE URBANA

Linha 6-Laranja: túneis se encontram na zona norte de SP

Cerimônia celebrou o encontro dos túneis da futura estação Brasilândia e do Pátio Morro Grande

Leilão de veículos

Detran-SP realiza leilão online com lances a partir de R$ 2 mil

Carros conservados e sucatas disponíveis; visite e faça seu pré-lance em julho

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter