X

Brasil

Piovani x Scooby: 'atriz poderia priorizar outro meio de cobrança', diz advogada

Segundo especialista, expor as crianças na internet não é a melhor forma de cobrar por pensão

Da Reportagem

Publicado em 30/01/2023 às 16:10

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Processo teria sido movido após a atriz afirmar que o surfista não havia pagado o valor acordado da pensão dos filhos / Reprodução/Instagram

Ganhou repercussão nos últimos dias a notícias de que a atriz Luana Piovani, 46, diz que está sendo processada pelo ex-marido, Pedro Scooby, 34. O processo teria sido movido após a atriz afirmar que o surfista não havia pagado o valor acordado da pensão dos filhos, Dom, de 10, Bem e Liz, de sete anos.

"Cheguei aqui no começo da semana, e tinha um processo. Ou seja, o Pedro abriu um processo contra mim e marcou uma audiência na semana que vem. Ele está querendo me calar. E eu entendo, porque queima muito o filme dele todas essas vezes que eu venho contar as faltas que ele comete, só que funciona, por isso que eu faço", diz Luana em reportagem publicada pelo Uol.

Scooby abriu o processo em Portugal, país esse que Piovani afirma ter legislação favorável a homens em casos como esse.

Luana alega que Scooby anexou até fotos nuas dela no processo e que fez tudo de forma pensada, até mesmo em onde abrir o processo, que foi onde ela mora e vive com os filhos. Piovani já afirmou também que caso fosse no Brasil o processo teria contornos diferentes, como maior inclinação de defesa da mulher.

Porém, a advogada Dra. Lorrana Gomes explica que não é bem assim.

Segundo ela, apesar das falas de Luana, é preciso entender que a Justiça brasileira vai sempre prezar pelo direito da criança.

"Isso inclui os elementos como direito de visitas, guarda, como o direito da imagem. E quando uma mãe expõe que o pai não está pagando a pensão, ela expõe, de certo modo, também a condição da criança, quando nós temos uma meio legal para essa cobrança, sendo possível inclusive solicitar a prisão civil. Então não é indicado que a mãe fique expondo a situação da criança na internet ou em qualquer meio", alertou.

Lorrana completa dizendo que Luana poderia cobrar tais valores judicialmente. "Então expor, sobretudo na internet, não é aconselhável. Até porque o que fica no ar é difícil ser removido depois.", finalizou.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

ARMAS E DROGAS

Polícia prende especialistas em roubo de cargas milionárias em SP; veja fotos

Quadrilha vinha sendo investigada por três roubos no interior paulista

Apagão 2024

Mancha solar reaparece e pode causar apagão

A tempestade desse mês foi marcada por auroras boreais e austrais em vários lugares do mundo

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter