X

MINISTRO DAS COMUNICAÇÕES

Quem é Juscelino Filho, ministro de Lula indiciado por corrupção

Agora indiciado, Juscelino Filho passou a integrar o governo Lula em 2023, para acomodar o União brasil

Bruno Hoffmann

Publicado em 12/06/2024 às 17:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Lula e o ministro Juscelino Filho / Ricardo Stuckert/Divulgação

A Polícia Federal concluiu que o ministro das Comunicações, Juscelino Filho (União Brasil), cometeu os crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção passiva, falsidade ideológica e fraude em licitação. As acusações são relacionadas a pretensos desvios de recursos de obras de pavimentação custeadas com dinheiro público da estatal federal Codevasf.

Com isso, o ministro do governo Lula foi indiciado pela PF, conforme anunciado nesta quarta-feira (12/6). Ele negou todas as acusações.

"Trata-se de um inquérito que devassou a minha vida e dos meus familiares, sem encontrar nada. A investigação revira fatos antigos e que sequer são de minha responsabilidade enquanto parlamentar", afirmou Juscelino (leia mais ao fim deste texto).

Quem é o ministro

Natural de São Luís, capital do Maranhão, o então deputado federal Juscelino Filho passou a integrar o governo Lula em fevereiro de 2023, como uma forma de acomodar o União Brasil na elite do governo.

Ele é filho do ex-deputado estadual maranhense Juscelino Rezende, que também exerceu o cargo de prefeito em Vitorino Freire (MA). Na família, Juscelino, que é médico, também tem como referências na política a tia Vianey Bringel, ex-prefeita de Santa Inês (MA), e o tio, ex-deputado estadual Stênio Rezende.

Defesa

Em sua defesa, Juscelino também disse que a investigação que culminou em seu indiciamento foi motivado por questão política.

“O indiciamento é uma ação política e previsível, que parte de uma apuração que distorceu premissas, ignorou fatos e sequer ouviu a defesa sobre o escopo do inquérito”, afirmou.

O ministro acrescentou que, durante o depoimento prestado sobre o caso, o delegado responsável “não fez questionamentos relevantes sobre o objeto da investigação”.

“Isso suscita dúvidas sobre sua isenção, repetindo um modus operandi que já vimos na Operação Lava Jato e que causou danos irreparáveis a pessoas inocentes”, complementou Juscelino.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

NESTA QUARTA

Autódromo de Interlagos recebe Dia do Motorista de App em SP

Evento terá show de Netinho de Paula, carros clássicos, foodtrucks e brinquedos para as crianças

FUGA E TIRO

Motociclista foge e é baleado na nuca por PM no interior de SP

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter