X

Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo

SP registrou 146 pessoas resgatadas do trabalho análogo à escravidão em 2022

Segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego, 72 dessas pessoas eram imigrantes

Da Reportagem

Publicado em 30/01/2023 às 14:11

Atualizado em 30/01/2023 às 14:15

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Há um ano, 4 bolivianos foram presos suspeitos de manter mais de 30 conterrâneos em regime semelhante à escravidão em Carapicuíba / REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Cento e quarenta e seis trabalhadores que estavam em condições análogas à escravidão foram resgatados em São Paulo, em 2022. Segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego, 72 dessas pessoas eram imigrantes.

O levantamento foi divulgado esta semana para lembrar o dia 28 de janeiro, Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. O estado ocupa o quinto lugar no ranking das vítimas resgatadas pelo Ministério do Trabalho, Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Polícia Federal.

De acordo com o portal “G1”, entre os trabalhadores estrangeiros resgatados eram: 35 paraguaios, 12 venezuelanos e 25 bolivianos que eram explorados em fazendas de mandioca e laranja, além de confecções de roupa e pequenas fábricas têxteis.

O Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo foi criado após a Chacina de Unaí, que aconteceu em 28 de janeiro de 2004. No episódio, três auditores fiscais e um motorista foram assassinados quando iam fazer uma inspeção em uma fazenda na região de Unaí, em Minas Gerais.

Casos no Brasil

No total, os auditores-fiscais do trabalho resgataram 2.575 trabalhadores que estavam sendo explorados - um aumento de 31% no número de vítimas em relação a 2021 e de 127% na comparação com 2019, antes da pandemia.

Apenas em Alagoas, Amazonas e Amapá não foram constatados casos de escravidão em 2022.

A maior parte dos trabalhadores resgatados em 2022 eram homens negros e nordestinos, mas foram encontradas também 35 crianças. Esse número representa uma queda de quase metade do número registrado em 2021. Desse total, 10 eram menores de 16 anos e 25 tinham entre 16 e 18 anos no momento do resgate.

Eles estavam sendo explorados principalmente na zona rural, em fazendas de produção de cana-de-açúcar.

Trabalhadores domésticos

Foi registrado um aumento de casos de trabalho escravo doméstico desde 2021, cerca de 31 vítimas foram resgatadas. Em 2022, foram 30 vítimas de trabalho escravo doméstico resgatadas em 15 estados.

Na Bahia estava concentrado o maior número: 10 vítimas. Em seguida aparece a Paraíba, Minas Gerais, São Paulo e Pernambuco, com 3 casos cada.
 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Segurança

Marcha para Jesus: PM de São Paulo reforça segurança

A caminhada terá início na Estação Luz do Metrô, às 10h; Durante o evento, policiais à paisana estarão em meio à multidão

TRÂNSITO HIDROVIÁRIO

Balsa de Ilhabela registra mais de 3 horas de fila

Demora se justifica pelo feriado prolongado de Corpus Christi

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter