últimas notícias
Guilherme Mateus teria sido perseguido por guardas municipais; corpo foi achado em lago da região
Guilherme Mateus teria sido perseguido por guardas municipais; corpo foi achado em lago da região
Foto: ARQUIVO PESSOAL

Grupo protesta contra morte de jovem em Sorocaba

Manifestantes incendiaram dois ônibus e dois caminhões do serviço público municipal de Sorocaba; morte é investigada

Em protesto contra a morte de um jovem de 18 anos, após ser perseguido por guardas municipais, manifestantes incendiaram dois ônibus e dois caminhões do serviço público municipal, entre a tarde e o fim da noite deste domingo, 19, em Sorocaba, no interior de São Paulo. Ninguém ficou ferido, mas três suspeitos do vandalismo foram detidos.

Na manhã de segunda-feira, 20, os ônibus que atendiam a região do bairro Parque Vitória Régia, na zona norte, onde ocorreram os ataques, circulavam com
escolta.

De acordo com a Polícia Civil, o jovem Guilherme Mateus de Camargo Franco, morador do bairro, teria sido perseguido por guardas municipais e fugiu por uma mata, na sexta-feira, 17. O corpo do rapaz foi encontrado na manhã de domingo, nas águas de um lago.

À tarde, um grupo de moradores fez uma barricada com pneus e paus em uma das principais ruas do bairro e ateou fogo. Um ônibus do transporte público que estava parado no ponto final do bairro foi abordado por quatro homens. Eles ordenaram à motorista que descesse, atravessaram o coletivo sobre uma ponte e atearam fogo.

No mesmo bairro, dois caminhões do Serviço Autônomo de Água e Esgotos (Saae) foram tomados pelos vândalos e incendiados. À noite, um segundo ônibus foi incendiado na avenida principal do bairro. Três suspeitos, um deles menor de idade, foram detidos pela Polícia Militar. Um deles estava com um galão de gasolina.

O serviço de ônibus foi suspenso no bairro até que fossem providenciadas escoltas da PM e da Guarda Municipal para os coletivos. Os ônibus passaram a circular em comboio.

Durante as manifestações, um carro de reportagem da TV Record foi apedrejado. A corregedoria da Guarda Municipal e a Polícia Civil investigam a morte do jovem e os ataques ao patrimônio.
(EC)

Tops da Gazeta