últimas notícias

Porto Feliz

As equipes da polícia e do Gaeco apreenderam dinheiro, balança, embalagens para drogas 
e anotações do tráfico ligadas a uma facção criminosa; o caso ainda é investigado
As equipes da polícia e do Gaeco apreenderam dinheiro, balança, embalagens para drogas e anotações do tráfico ligadas a uma facção criminosa; o caso ainda é investigado
Foto: arquivo pessoal

Policiais militares de Jundiaí são presos em operação contra o tráfico de drogas

Uma operação contra o tráfico de drogas em Jundiaí e Várzea Paulista prendeu 11 pessoas na manhã de
sexta-feira. Entre os detidos estão três policiais militares.As informações são do "G1".

A ação do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) teve como alvo crimes relacionados ao tráfico de drogas e associação para o tráfico, corrupção e organização criminosa.

Até às 13h, o balanço da operação era de cinco pessoas presas em Jundiaí e três em Várzea Paulista, além dos três PMs da equipe da Força Tática do 49º Batalhão da Polícia Militar, em Jundiaí.

Os policiais foram levados para ao Plantão Policial de Jundiaí, mas depois serão encaminhados para o Presídio Militar Romão Gomes, na capital paulista.

As investigações duraram dois anos e descobriram atividades associadas ao tráfico de drogas na cidade de Várzea Paulista e no bairro São Camilo, em Jundiaí.

As equipes da polícia e do Gaeco apreenderam dinheiro, balança, embalagens para drogas e anotações do tráfico ligadas a uma facção criminosa.

O promotor do Gaeco de Campinas (SP), Jandir Moura Torres Neto, disse à "TV TEM" que alguns celulares também foram apreendidos. A investigação vai usar esses aparelhos para cruzar conversas.

"É uma investigação que foi iniciada pela Corregedoria da Polícia Militar voltada para a possibilidade da participação de alguns policiais militares que atuam na região de Jundiaí com grupos que exploram atividades de tráfico e outras atividades criminosas tanto em Jundiaí, na região do São Camilo, quanto em Várzea Paulista. A Corregedoria da PM, em determinado momento, verificou que tinha indícios razoáveis da prática de crimes por civis e aí decidiu realizar a operação". (GSP)

Tops da Gazeta