últimas notícias
A prefeitura inspeciona estruturas na Capital desde que um viaduto na Marginal Pinheiros cedeu
A prefeitura inspeciona estruturas na Capital desde que um viaduto na Marginal Pinheiros cedeu
Foto: Ronaldo Silva/Futura Press/Folhapress

MP vai à Justiça para limitar acesso a pontes e viadutos

MP condiciona o fim das restrições à apresentação de um documento que atesta a segurança das estruturas

O Ministério Público do Estado de São Paulo entrou nesta terça-feira com uma ação civil pública na Justiça para que a prefeitura impeça ou restrinja a circulação de veículos em pontes e viadutos em situação de "grave risco".

A Prefeitura de São Paulo inspeciona estruturas na Capital desde que um viaduto na Marginal do Pinheiros cedeu dois metros, em novembro do ano passado. Dois meses depois, a gestão Bruno Covas (PSDB) interditou uma ponte que liga a Marginal do Tietê à rodovia Presidente Dutra por risco estrutural.

Em fevereiro, o município concluiu a primeira etapa de inspeções em pontes e viadutos da cidade e constatou a necessidade de estudos de engenharia urgentes em 16 de 33 estruturas, entre elas a Ponte da Casa Verde, na zona norte, e a do Tatuapé, na zona leste.

Na ação, distribuída à 10ª Vara da Fazenda Pública, a Promotoria de Habitação e Urbanismo da Capital pede "providências imediatas", com readequações no trânsito da cidade para que veículos sejam "impedidos ou restringidos de trafegar sobre pontes e viadutos já inspecionados pelo Município, em relação aos quais foi constatada situação de grave risco".

O Ministério Público condiciona o fim das restrições à apresentação pela prefeitura de um documento que ateste a segurança das estruturas. "Mesmo ciente da gravidade dos riscos que envolvem o tráfego nessas pontes e viadutos, e tendo recebido recomendação expressa por parte do Ministério Público, o município deixou de adotar as providências administrativas que lhe competiam", indica a Promotoria.

No documento, o órgão também aponta que não foram informadas, no prazo estabelecido, as razões para a confidencialidade de procedimentos relacionados às vistorias dos viadutos na cidade e a contratações de empresas para reparações. (EC)

Tops da Gazeta