últimas notícias
O prefeito Bruno Covas (PSDB) e o governador anunciaram um conjunto de parcerias nesta quarta
O prefeito Bruno Covas (PSDB) e o governador anunciaram um conjunto de parcerias nesta quarta
Foto: GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Doria anuncia pacote para Covas de R$ 550 milhões

PARCERIA. Estado aplicará R$ 330 milhões anualmente na área da Saúde e R$ 220 milhões para investimento em obras viárias

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta quarta-feira, a um ano das eleições municipais, um pacote de investimento de R$ 550 milhões na Prefeitura de São Paulo. O prefeito Bruno Covas (PSDB) e o governador anunciaram um conjunto de parcerias nas áreas de transportes, saúde e educação da capital paulista.

O Estado aplicará R$ 330 milhões anualmente nas iniciativas na área da Saúde e R$ 220 milhões para investimento em obras viárias.

O convênio entre prefeitura e governo prevê a duplicação da Estrada do M'Boi Mirim, na zona Sul da capital; implantação de unidade de Assistência Médica Ambulatorial (AMA) 24 horas na região do Hospital das Clínicas; aporte de R$ 60 milhões à gestão dos hospitais de Parelheiros e de Ermelino Matarazzo; ampliação de vagas no programa de assistência social Redenção de tratamento de dependentes químicos; e alinhamento de currículos e ações pedagógicas do município e do estado.

O investimento na obra da M'Boi Mirim é de R$ 220 milhões, e o prazo para execução é de 24 meses após o início. As obras começam em 25 de janeiro de 2020 e devem terminar em 2022.

Com os recursos extras, Covas ganha alívio de R$ 240 milhões em caixa para a gestão dos demais hospitais e pode reforçar recursos em outras áreas todas como críticas, como o custeio das ambulâncias do SAMU.

A parceria também garante que o Estado faça a duplicação da Estrada do M`Boi Mirim, o que possibilitará a Covas ter uma de grande impacto na periferia da capital.

As áreas da saúde, da questão dos moradores de rua, a falta de ações para combater o desemprego e o excesso de obras no centro da cidade sem equivalentes nas periferias são justamente os pontos levantados por aliados de Covas na Câmara Municipal que poderiam dificultar sua reeleição, no ano que vem.

A parceira ataca ainda outros pontos em que Covas vinha sendo mal avaliado. O Hospital da Clínicas deve ganhar, a partir de janeiro, uma unidade do serviço Atendimento Médico Ambulatorial (AMA), oferecendo `a população que procura o hospital um local para ser atendido — o pronto-socorro do HC recebe apenas ambulâncias, o que gera queixas de pacientes que vão até lá e não são atendidos.

Doria citou ainda parcerias na área da educação, com a integração de matriculas e a migração gradual de alunos do ensino fundamental da rede estadual para a rede municipal. O governador negou que o pacote de ajuda tivesse como fundo a ideia a de ajudar Covas a ser reeleito, dizendo que o a ajuda se justificava pelo tamanho da cidade de São Paulo, "cidade mais populosa do Estado e mais populosa do País". Doria disse, ainda que não vê "nenhuma debilidade" na gestão de Covas. (GSP e EC)

Tops da Gazeta