últimas notícias

Capital

Durante anúncio do programa, Covas disse ser inaceitável que prefeito seja atendido com agilidade enquanto população precisa esperar
Durante anúncio do programa, Covas disse ser inaceitável que prefeito seja atendido com agilidade enquanto população precisa esperar
Foto: ROVENA ROSA/AGÊNCIA BRASIL

Corujão do Câncer terá 2,3 mil vagas para exames na rede pública

As atividades já começam na próxima quinta (23) e contarão com 2.300 vagas para exames de Colonoscopia para pacientes com idade acima de 65 anos

A Prefeitura de São Paulo lançou nesta terça-feira (21) o Corujão do Câncer, programa que prevê, na primeira fase, o atendimento dos pacientes com os tipos de câncer de maior incidência: estômago, colorretal, tireoide e próstata.

As atividades já começam na próxima quinta-feira (23) e contarão com 2.300 vagas para exames de Colonoscopia para pacientes com idade acima de 65 anos, para detecção de câncer do intestino, o que representa uma oferta de vagas 13 vezes maior do que a disponível em dezembro de 2019.

"Acho que todos acompanharam a minha história no ano passado. Numa quarta-feira, eu me internei para cuidar de uma erisipela. Na quinta- feira, eu descobri que a erisipela tinha virado uma trombose. Na sexta-feira, eu também descobri que também havia uma embolia por conta desse quadro. No sábado, eu descobri que havia um tumor. No domingo, eu já sabia qual era o tipo de tumor e a extensão dele, e na terça-feira eu comecei a quimioterapia. É inaceitável que o prefeito, que tem condições de pagar um plano de saúde, tenha esse tipo de agilidade e a população, que não tem condições de pagar um plano de saúde, tenha que esperar dias para continuar e ter acesso a um tratamento", afirmou o prefeito Bruno Covas (PSDB).

De acordo com a prefeitura, o município de São Paulo já atende à Lei 12.732/2012, que determina que o paciente diagnosticado com câncer deva ser tratado em menos de 60 dias.

Participam do Corujão do Câncer os hospitais AC Camargo, Instituto de Câncer Dr. Arnaldo (CAVC), Hospital Municipal Dr. Gilson de Cássia Marques de Carvalho/Einstein (Vila Santa Catarina) e Hospital Sírio Libanês, parceiros nessa iniciativa do tratamento em toda a linha de cuidado, pelo período estimado de 2 a 5 anos. Cada paciente terá um custo mensal estimado de R$ 26 mil para o município. O total de investimento no programa é de R$ 15 milhões.

Segundo a secretária-adjunta da Saúde, Edjane Maria Torreão, o Corujão vem trazer agilidade a oferta de tratamento precoce. "Ao agilizar a oferta de tratamento, o município vai dar ao cidadão o direito de ser tratado de forma precoce, com uma assistência ampla que chamamos de linha de cuidado, onde o paciente terá acesso a tudo que precisar", destacou.

Prevista para março deste ano, a segunda fase do Programa Corujão do Câncer, além de priorizar os pacientes com diagnóstico de câncer de pele, ginecológico, hematológico, neurológico, pneumológico, oftalmológico e pediátrico, aumenta a oferta de exames como Ecocardiograma, Densitometria Óssea, Ultrassonografia Mamária, Endoscopia.

Serão 70.953 vagas para exames, com a ampliação de horário de atendimento das 19h às 22h, em 21 unidades municipais, sendo 13 Hospitais Dia e oito AMA - E (Assistência Médica Especializada E).

Tops da Gazeta