últimas notícias
O mutirão é exclusivo para solicitações de Carteira de identidade e acontece antes mesmo da reabertura oficial das unidades
O mutirão é exclusivo para solicitações de Carteira de identidade e acontece antes mesmo da reabertura oficial das unidades
Foto: Diogo Moreira/Governo do Estado de São Paulo

Poupatempo tem demora para agendar emissão de RG na capital paulista

Quem tentou fazer o agendamento pessoalmente nos totens do Poupatempo Sé teve que enfrentar uma fila de 40 minutos de espera nesta terça-feira (28)

Usuários de serviços do Poupatempo não estão encontrando datas disponíveis para agendar a emissão do RG ou a renovação da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) nas unidades da capital e da Grande São Paulo.

A reportagem da Folha de S.Paulo também tentou agendar a emissão de RG na manhã desta terça (28) pela internet e não encontrou nenhuma data para os próximos dias nem para fevereiro.

Quem tentou fazer o agendamento pessoalmente nos totens do Poupatempo Sé, no centro, teve que enfrentar uma fila de 40 minutos de espera nesta terça-feira (28). Somente lá havia data para o mesmo dia ou para 3 de fevereiro.

A escriturária D. de O.F., 27, está desde o início do mês tentando agendar, pela internet e pelo telefone, a renovação do RG da filha de 7 anos no Poupatempo Itaquera, na zona leste, mas não encontra data.

"Toda vez que entro no site diz que não tem data disponível. Tentei hoje [terça-feira] de novo e não consegui. Até mandei email para eles, mas não recebi nenhuma resposta", afirmou.

O servidor público federal S.T., 35, também tentou agendar a emissão do RG do filho de 1 ano no Poupatempo de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, mas sem sucesso. "Está simplesmente impossível conseguir agendar um horário", afirmou.

Além da dificuldade de agendamento, muitas pessoas também reclamam de demora na entrega do RG. Há relatos de que a espera supera os 15 dias dados por alguns postos.

A empregada doméstica F.P. da S., 39, disse que o filho dela fez o RG no dia 3 de janeiro e deram prazo de 15 dias para buscar. "Quando ele chegou lá disseram que ainda não estava pronto e mandaram voltar em cinco dias", afirmou ela, que fez uma reclamação na Ouvidoria do Poupatempo.

"Somente ontem [segunda, (27)] me ligaram e disseram que faltavam documentos, mas ele entregou todos quando foi tirar o RG", disse.

A motorista de aplicativo N.P. de A., 53, está há duas semanas tentando agendar o procedimento para tirar a segunda via da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) pela internet e pelo telefone, mas sem sucesso. Como precisa da CNH para trabalhar, ela foi ao posto da Sé para buscar ajuda.

"O serviço de agendamento está um horror. Nunca tem data disponível e quando tem o sistema trava e não gera o protocolo. Pagamos por um serviço caro para ter esse atendimento", disse.

Ela conseguiu agendar no totem para sexta (31), no posto da Sé. "É constrangedora essa situação. Passa raiva tentando agendar, paga condução, pega fila enorme", afirmou Neide, que mora em Heliópolis, na zona sul.

O Poupatempo, serviço do governo de São Paulo, sob gestão de João Doria (PSDB) disse, em nota, que registrou pico de instabilidade no sistema de agendamento. À tarde, afirma o órgão, todos os canais funcionavam normalmente.

Segundo o Poupatempo, o agendamento fica mais concorrido no período de férias, entre janeiro e fevereiro.

"Deste modo, para garantir novas opções de datas, o programa Poupatempo abre novas vagas sempre que a grade se esgota e já conta com horários disponíveis para atendimentos de RG e CNH nos dias 29 e 30 de janeiro, em unidades da capital e região metropolitana", disse em nota. A partir de 4 de fevereiro, serão ofertados mais opções de dias e horários.

O Poupatempo disse que não há relação entre a instabilidade no sistema de agendamento e o prazo para a emissão dos documentos, que têm sido entregues dentro do prazo, entre cinco e 10 dias úteis. "Eventuais atrasos são pontuais e devidamente tratados e comunicados aos cidadãos".

Comentários

Tops da Gazeta