últimas notícias

Capital

Rua de Marsilac, no extremo sul, onde apenas 0,8% dos domicílios estão conectados à rede de esgoto
Rua de Marsilac, no extremo sul, onde apenas 0,8% dos domicílios estão conectados à rede de esgoto
Foto: CESAR OGATA/SECOM

Estudo revela diferenças entre bairros de SP

O levantamento da Rede Nossa São Paulo mostra diferenças em ser criança no centro ou na periferia da capital paulista

O Mapa da Desigualdade da Primeira Infância, divulgada pela Rede Nossa São Paulo nesta quarta-feira, mostrou que o percentual de crianças nascidas vivas de mães adolescentes em Marsilac, no extremo sul da Capital, é 53 vezes maior do que em Moema, bairro rico também da zona sul. Em Moema, o percentual é de 0,4. Já em Marsilac, o índice sobe para 18,9.

A pesquisa foi elaborada com base em dados fornecidos pelas diferentes secretarias da Prefeitura de São Paulo e busca mostrar a importância do investimento em políticas públicas para a primeira infância.

O levantamento reúne 26 indicadores municipais, relacionados a temas fundamentais para o bem-estar e qualidade de vida de crianças de zero a seis anos de idade - período que compreende a chamada primeira infância. Os dados são aplicados aos 96 distritos de São Paulo.

"A primeira infância talvez seja a questão mais importante que a gente tenha na nossa sociedade. Não há tema mais importante do que esse. Ao cuidar das crianças, nós vamos estar cuidando de um futuro de uma cidade, de um país", afirma Jorge Abrahão, coordenador da Rede Nossa SP, em entrevista ao "G1".

O estudo também mostrou que 31,9% das mães da Cachoeirinha, na zona norte, não fizeram todas as consultas recomendadas pelo SUS para o pré-natal. No Itaim Bibi esse número é de 5,4%.

A pesquisa também mostra como a estrutura urbana influencia na vida das crianças. Em Parelheiros e em Marsilac, por exemplo, 50% dos domicílios com crianças de até 5 anos não têm banheiro. Ainda em Marsilac, apenas 0,8% dos domicílios estão conectados à rede de esgoto. Em bairros como Alto de Pinheiros, Bela Vista e Moema, esse número é superior a 99,8%.

Tops da Gazeta