últimas notícias
Sambódromo - São Paulo (SP) - 23.03.2016 - Geral - Sambódromo - Vista do Sambódromo do Anhembi, arquibancadas, arquibancada monumental,  Espaço Anhembi, concentração. Foto: Jose Cordeiro/SPTuris
Sambódromo - São Paulo (SP) - 23.03.2016 - Geral - Sambódromo - Vista do Sambódromo do Anhembi, arquibancadas, arquibancada monumental, Espaço Anhembi, concentração. Foto: Jose Cordeiro/SPTuris
Foto: Jose Cordeiro

Escolas levarão China e Líbano para o Anhembi

Desfiles das escolas do Grupo Especial acontecem nos dias 21 e 22 deste mês, no Sambódromo do Anhembi

A cultura de outros países tem rendido bons enredos e agradado o público que acompanha o Carnaval. E neste ano não será diferente, já que a Unidos de Vila Maria e Império de Casa Verde vão trazer para o Anhembi a história da China e do Líbano, respectivamente. Na edição da semana passada, a reportagem mostrou o trabalho das três primeiras colocadas de 2019: Mancha Verde, Dragões da Real e Rosas de Ouro e agora apresentará os preparativos finais das duas escolas da zona norte, que ficaram em 4º e 5º lugar.

A Unidos de Vila Maria quer usar o exemplo da China, que teve crescimento econômico após a união do seu povo, para inspirar o Brasil. O carnavalesco Cristiano Bara passou 45 dias no país asiático para desenvolver o enredo "China: o sonho de um povo embala o samba e fez a Vila sonhar". "A China conseguiu selar a paz e a união entre diversas etnias e depois disso se tornou o país potente que é hoje. A mensagem é a de que unidos somos mais fortes. No Brasil precisamos nos unir para sermos também uma grande potência. Somos muito fragmentados, inclusive em partidos políticos, e ficamos fracos para exigir dos nossos governantes direitos básicos. Não precisa ninguém ter vida de luxo, mas o povo que trabalha precisa pelo menos ter acesso à saúde e à educação", disse Cristiano à reportagem.

Ainda de acordo com Bara, um dos objetivos do desfile é mostrar "uma China aberta e que quer receber o mundo. As coisas mudaram, hoje temos uma China moderna e não mais fechada. Ela é um país que alimenta os mercados de todo o mundo", complementa.

Já a Império de Casa Verde, que completará 26 anos de fundação neste mês e possui três títulos no Grupo Especial, quer buscar o quarto apostando no Líbano como enredo. O título oficial do enredo é "Marhaba Lubnãn".

O desfile será assinado pelo segundo ano consecutivo pelo carnavalesco Flávio Campello. "Tivemos a ideia do enredo logo após o Carnaval do ano passado. Vamos criar um paralelo entre a cultura libanesa e a cultura popular brasileira. O Líbano representa o mundo e a humanidade. E são esses costumes e tradição que vamos levar para a avenida. É o enredo da minha vida", disse Campello em entrevista à Gazeta.

Ainda segundo Campello, "Carnaval se ganha ou se perde nos 65 minutos de desfile. Hoje em São Paulo está tudo muito equilibrado. A comunidade abraçou o enredo e isso é muito importante. Vamos vir com um desfile grandioso e luxuoso".

Em 2019, a Império apostou em um enredo sobre o cinema. A escola faturou o Carnaval pela última vez em 2016 com o enredo "O Império dos Mistérios".

Além das cinco mais bem colocadas de 2019, outras nove escolas de samba desfilam neste ano no Anhembi: Barroca Zona Sul, Pérola Negra, Tom Maior, Colorado do Brás, Acadêmicos do Tatuapé, X-9 Paulistana, Gaviões da Fiel, Mocidade Alegre e Águia de Ouro. Veja arte ao lado com os enredos das escolas e o dia de desfile.

INGRESSOS AINDA SÃO VENDIDOS NO ANHEMBI

Os ingressos para o desfile são vendidos no Sambódromo do Anhembi, na zona norte de São Paulo. O ponto de venda fica na avenida Olavo Fontoura, 1.209, portão 1, em Santana.

O horário de funcionamento é das 12h às 20h, de segunda a sexta. Aos sábados e domingos, a bilheteria fica aberta das 10h às 18h. É necessário ter em mãos o RG e CPF na hora da compra, já que os ingressos são nominais.

Os valores variam de acordo com o setor e dia escolhido e vão a partir de R$ 90 para arquibancada; R$ 270 para cadeira de pista; R$ 1.210 para mesa de pista; e R$ 10 mil para camarote.

As escolas do grupo especial desfilam nos dias 21 e 22 de fevereiro e as escolas do grupo de acesso desfilam nos dias 23 e 24 de fevereiro.

MEIA-ENTRADA

Para comprar um ingresso pela metade do valor, é necessário apresentar CPF, RG e os documentos que comprovam o benefício da meia- entrada. O ingresso deverá ser comprado pelo titular do benefício e o limite é de um ingresso por beneficiário.

DO ENTRUDO ÀS ESCOLAS DE SAMBA

A escola de samba mais vitoriosa do Carnaval paulistano é a Vai-Vai. A agremiação da Bela Vista colecionou 15 títulos a partir de 1978. Neste ano, a Vai-Vai disputará de forma inédita o Grupo de Acesso, mas é a favorita para voltar ao lugar em que está acostumada. A lista das mais campeãs segue com Nenê de Vila Matilde (11 títulos), Mocidade Alegre (10), Camisa Verde e Branco (9) e Rosas de Ouro (7).

Os desfiles oficiais das escolas se iniciaram em 1965, mas a história do Carnaval paulistano remonta a vários século antes. As celebrações carnavalescas em São Paulo se iniciaram com o entrudo, uma tradição europeia realizada por estas terras desde o fim do século 16. O entrudo consistia, basicamente, em jogar água e objetos uns nos outros, de forma tão anárquica quanto violenta. Não raro os foliões saiam com hematomas.

O entrudo, considerado incivilizado, começou a entrar em declínio com a ascensão da burguesia cafeeira em meados do século 19. Essa burguesia passou a montar bailes carnavalescos mais luxuosos e requintados, à moda europeia, com a identidade protegida sob máscaras. Já os mais pobres passaram a desenvolver o Carnaval à sua maneira.

A coexistência dos dois estilos formou o chamado grande Carnaval, da elite, e o pequeno Carnaval, da população mais pobre. O pequeno Carnaval tinha na dança e na música os elementos centrais de suas festas, do qual surgiram os blocos, os cordões, os ranchos e as escolas de samba, que paulatinamente agregariam também elementos do grande Carnaval, para se tornar uma das maiores festas populares do País. Se não a maior.

FICHA TÉCNICA

UNIDOS DE VILA MARIA

A Unidos de Vila Maria quer apresentar no Anhembi uma "China aberta ao mundo". O objetivo da escola para o desfile deste ano é ressaltar a importância do país asiático e dizer que, assim como a nação do outro lado do mundo, se houver união no Brasil, se pode ter um País melhor.

Macaque in the trees
Ajustes finais na alegoria da Unidos de Vila Maria - Ettore Chiereguini/Futura Press

O desfile também terá a presença de dragões chineses, figuras que representam a prosperidade e a fartura na cultura chinesa. A escola virá com cerca de 2.500 componentes divididos em 24 alas.

Macaque in the trees
Vila Maria levará a China para o Anhembi - Ettore Chiereguini/Futura Press

"Além de toda a importância da China como país para todas as outras nações, também queremos falar da China preocupada em plantar e preservar o planeta, porque não adianta tecnologia se não cuidarmos do planeta", disse o carnavalesco Cristiano Bara.

Macaque in the trees
Trabalho no barracão da Unidos de Vila Maria - Ettore Chiereguini/Futura Press

• Enredo: “China: O Sonho de um povo embala o samba e faz a Vila sonhar”

• Dia do desfile: 6ª escola do dia 22 de fevereiro - 4h

• Destaque do carnavalesco: 4ª alegoria, que mostrará cidades inteligentes

• Número de Componentes: 2.900

• Número de Alas: 23

• Títulos: Nenhum

IMPÉRIO DE CASA VERDE

A Império de Casa Verde tenta buscar o seu quarto título do Carnaval de São Paulo unindo o Líbano com o Brasil. O enredo "Marhaba Lubnãn", assinado pelo carnavalesco Flávio Campello pelo segundo ano consecutivo, vai mostrar que as duas nações têm semelhanças.

Macaque in the trees
Alegoria da Império de Casa Verde - Ettore Chiereguini/Futura Press

"Durante a minha visita ao Líbano eu consegui visualizar muito o Brasil. Então, vamos criar esse paralelo das nações no desfile. Eles são a primeira civilização do mundo, os primeiros navegantes, existem muitas histórias. É um enredo rico", disse Campello à Gazeta.

Macaque in the trees
No Carnaval deste ano a escola da zona norte falará sobre o Líbano - Ettore Chiereguini/Futura Press

Ainda de acordo com Campello, um dos destaques da escola para esse ano são as alegorias. "Todas serão gigantes e exuberantes. O imperiano gosta de carros grandes. Hoje, o Carnaval está muito equilibrado, então é preciso inovação e alegorias e fantasias bem acabadas".

Macaque in the trees
Trabalho no barracão da Império de Casa Verde - Ettore Chiereguini/Futura Press

• Enredo: “Marhaba Lubnãn”

• Dia do desfile: 6ª escola do dia 21 de fevereiro - 5h05

• Destaque do carnavalesco: Alegorias

• Número de Componentes: 2.500

• Número de Alas: 24

• Títulos: 2005, 2006 e 2016

TAMBÉM DESFILAM

• Nome da agremiação: X-9 Paulistana

- Enredo: “Batuques para um rei coroado”

- Desfile: 7ª escola do dia 21 de fevereiro - 6h15

• Nome da agremiação: Tom Maior

- Enredo: “É coisa de preto”

- Desfile: 2ª escola do dia 21 de fevereiro - 00h25

• Nome da agremiação: Mocidade Alegre

- Enredo: “Do canto das Yabás renasce uma nova morada”

- Desfile: 4º escola do dia 22 de fevereiro - 1h45

• Nome da agremiação: Pérola Negra

- Enredo: “Bartali Tcherain. A estrela cigana brilha na Pérola Negra”

- Desfile: 1ª escola do dia 22 de fevereiro - 22h30

• Nome da agremiação: Gaviões da Fiel

- Enredo: “Um não sei que, que nasce não sei onde, vem não sei como e explode não sei por quê”

- Desfile: 3ª escola do dia 22 de fevereiro - 00h30

• Nome da agremiação: Colorado do Brás

- Enredo: “Que Rei Sou Eu?”

- Desfile: 2ª escola do dia 22 de fevereiro - 23h20

• Nome da agremiação: Barroca Zona Sul

- Enredo: “Benguela… A Barroca clama a ti, Tereza!”

- Desfile: 1ª escola do dia 21 de fevereiro - 23h15

• Nome da agremiação: Águia de Ouro

- Enredo: “O poder do saber. Se saber é poder… quem sabe faz a hora, não espera acontecer”

- Desfile: 5ª escola do dia 22 de fevereiro - 2h50

• Nome da agremiação: Acadêmicos do Tatuapé

- Enredo: “Canto Atibaia do meu coração”.

- Desfile: 5º escola do dia 21 de fevereiro - 3h55

Galeria de Fotos

Tops da Gazeta