últimas notícias

Capital

Entrada do Instituto Adolfo Lutz, na zona oeste da Capital
Entrada do Instituto Adolfo Lutz, na zona oeste da Capital
Foto: REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Instituto Adolfo Lutz tem demanda 3 vezes maior do que capacidade de testes

Capacidade do Instituto Adolfo Lutz é de 400 testes por dia, mas demanda é de 1.200 amostras diárias

Com capacidade atual para processar cerca de 400 testes do novo coronavírus por dia e uma demanda de 1.200 amostras diárias, o Instituto Adolfo Lutz (IAL), órgão do Governo de São Paulo, tem 14 mil testes esperando pelo resultado no Estado.

Segundo apuração do SP1, da “TV Globo”, todos os dias veículos de prefeituras da região metropolitana da Capital se deslocam até a sede do instituto, nas Clínicas, zona oeste de São Paulo, para entregar mais amostras coletadas dos pacientes com sintomas graves e profissionais de saúde potencialmente infectados com o novo coronavírus. Mas, muitas vezes, eles retornam sem resultados dos exames entregues até duas semanas antes.

Para tentar reduzir o problema, o governo estadual e a Prefeitura de São Paulo afirmam que estão implementando medidas que devem ampliar o número de testes processados por dia para 10 mil em meados de abril.

De acordo com o coordenador de Controle de Doenças de São Paulo, Paulo Menezes, a partir da semana que vem o IAL passará a produzir 1.800 testes diários o Instituto Butantan vai passar a produzir mais mil testes por dia. “Em 15 dias, nós conseguiremos atingir 10.000 testes por dia no estado de São Paulo para o SUS”, garantiu o coordenador.

 

Comentários

Tops da Gazeta