últimas notícias
Ilustração gráfica de como deve ficar o Vale do Anhangabaú ao fim das obras
Ilustração gráfica de como deve ficar o Vale do Anhangabaú ao fim das obras
Foto: Reprodução/PMSP

Após reforma de R$ 80 milhões, prefeitura quer conceder Vale do Anhangabaú à iniciativa privada

Segundo o edital, a prefeitura espera arrecadar R$ 8,6 milhões com a concessão da área

A Prefeitura de São Paulo quer conceder o Vale do Anhangabaú à iniciativa privada pelo período de 10 anos. Nesta quarta-feira, a gestão municipal lançou uma consulta pública para receber propostas e sugestões da população antes do edital final, documento pelo qual as empresas interessadas se candidatam para a gerir o local.

A reforma do espaço no centro histórico da Capital se iniciou em junho do ano passado e está orçada em R$ 80 milhões. Segundo o edital, a prefeitura espera arrecadar R$ 8,6 milhões com a concessão da área, entre investimentos a serem feitos pela concessionária, custos fixos e também com o aumento esperado na arrecadação de impostos.

Segundo a prefeitura, a previsão é que a soma dos custos da concessionária durante o prazo da vigência do contrato seja de R$ 49,4 milhões. A proposta é que a concessionária se responsabilize por arcar com a manutenção, a zeladoria e a limpeza de todas as áreas públicas; instale lixeiras, sanitários, bebedouros rede de Wi-Fi; instale câmeras e postos de segurança e contrate equipes para fazer rondas constantes; entre outras responsabilidades.

As transformações no Vale do Anhangabaú são consideras a obra mais importante para a revitalização do centro, uma das bandeiras do prefeito Bruno Covas (PSDB). A intenção é que o local deixe de ser um espaço apenas de passagem. Para isso, o projeto prevê a instalação de 13 quiosques para atividades gastronômicas, culturais e de serviço, novo piso e iluminação e 850 fontes d'água.

"A intenção é trazer mais vida, mais gente, mais atividade econômica, social, cultural para a região central de São Paulo", afirmou Fernando Chucre, secretário de Desenvolvimento Urbano, em entrevista à Gazeta em fevereiro deste ano.

Comentários

Tops da Gazeta