últimas notícias
Cinemateca Brasileira, na zona sul da Capital
Cinemateca Brasileira, na zona sul da Capital
Foto: Divulgação

Prefeitura de SP quer administrar a Cinemateca

Bruno Covas busca uma saída jurídica para a gestão municipal passar a administrar a Cinemateca Brasileira, que vive uma grave crise financeira; vereador propõe emenda de R$ 1 milhão para impulsionar a ideia

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), busca uma saída jurídica para a gestão municipal passar a administrar a Cinemateca Brasileira, que vive uma grave crise financeira e está com o seu acervo em risco.

De acordo com o vereador Xexéu Tripoli (PSDB), defensor da ideia, a entidade na zona sul da Capital não recebe os repasses do governo federal desde abril. Tripoli propôs a Covas uma emenda parlamentar de até R$ 1 milhão para impulsionar a ideia. Os órgãos municipais envolvidos na discussão são a Secretaria de Cultura e a SPCine.

“Precisamos encontrar uma forma jurídica de levar isso adiante. Quero atuar de forma efetiva, sem esperar que os outros façam, e proponho uma emenda parlamentar de até R$ 1 milhão que possa ser encaminhada para a Secretaria da Cultura. Se não tomarmos uma atitude agora, pode ser tarde”, afirmou Tripoli, após contato da Gazeta.

No início de abril, um protesto na frente da Cinemateca Brasileirareuniu artistas e pessoas que frequentam o espaço paulistano, um dos maiores acervos do cinema brasileiro. A manifestação foi organizada pela Associação Paulista de Cineastas.

Funcionários da instituição relataram que trabalham sem receber desde abril. Além disso, contratos com terceirizados estavam prestes a acabar, e a conta de luz estava há dois meses atrasada.

Em dezembro do ano passado, o Ministério da Educação e a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp), responsável pela gestão da instituição, romperam o contrato, o que vem causando dificuldades financeiras à Cinemateca desde então.

A Cinemateca Brasileira é a instituição responsável pela preservação e difusão da produção audiovisual brasileira. Tem o maior acervo da América do Sul, formado por cerca de 250 mil rolos de filmes e mais de um milhão de documentos relacionados ao cinema, como fotos, roteiros, cartazes e livros.

Comentários

Tops da Gazeta