últimas notícias
Bruno Covas (PSDB) é prefeito de São Paulo
Bruno Covas (PSDB) é prefeito de São Paulo
Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/Folhapress

Capital deve abrir bares, restaurantes e salões de beleza em 6 de julho

Anúncio foi feito nesta sexta pelo prefeito Bruno Covas, após Capital passar à fase amarela do Plano São Paulo

Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, o Governo e a Prefeitura de São Paulo anunciaram que a Capital passa à fase amarela do Plano São Paulo de retomada econômica, o que permite a reabertura parcial e com regras de bares, restaurantes e salões de beleza. Além da Capital, as regiões sudeste e sudoeste da Grande São Paulo também foram para a próxima fase.

O prefeito Bruno Covas (PSDB), porém, afirmou que o centro de contingência estadual do coronavírus recomendou que a cidade aguarde mais uma semana para permitir a reabertura desses setores. Segundo o prefeito, se a Capital se mantiver na fase amarela na próxima sexta-feira, vai haver a permissão para a reabertura dessas atividades econômicas no dia 6 de julho, segunda-feira.

“A recomendação dada pelo centro de contingência é, que apesar do município estar agora na fase amarela, deve esperar uma semana para ver a classificação que teremos na sexta-feira da semana que vem, para o município abrir aquilo que a fase amarela permite. O município vai acatar essa recomendação”, disse o prefeito.

Os bares, restaurantes e salões de beleza terão a permissão de atuar com até 40% da capacidade. O funcionamento não pode ultrapassar seis horas por dia. Os setores deverão enviar protocolos de funcionamento, que garanta a segurança de clientes e funcionários. Com a nova fase do plano, os shoppings, comércios e serviços, que já estão abertos com restrições, poderão passar a atender com 40% da capacidade de público. As praças de alimentação dos shoppings permanecerão proibidas.

ESTADO.

Por outro lado, o Governo de São Paulo anunciou que nove regiões do Estado ficarão na fase vermelha, a mais restritiva: Franca, Ribeirão Preto, Araçatuba, Presidente Prudente, Marília, Bauru, Sorocaba, Registro e Piracicaba.

Segundo a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, o governo previa que casos da doença cairiam na Grande São Paulo e aumentariam no Interior. "A pandemia está seguindo seu curso como esperado", disse a secretária.

Comentários

Tops da Gazeta