últimas notícias
As igrejas precisarão evitar eventos que gerem aglomerações e respeitar o espaçamento mínimo de 1,5 metros entre pessoas
As igrejas precisarão evitar eventos que gerem aglomerações e respeitar o espaçamento mínimo de 1,5 metros entre pessoas
Foto: Photo by Jackson David/Unsplash

Atividades religiosas serão retomadas a partir desta segunda-feira na Capital

Locais deverão seguir uma lista de protocolos; missas presenciais estavam proibidas desde o dia 20 de março

As Igrejas Católica e Ortodoxa retomarão as cerimônias presenciais a partir desta segunda-feira (29). No entanto, assim como os outros setores, as paróquias e catedrais terão que retomar as atividades com uma série de cuidados.

A realização de missas e cultos no estado de São Paulo estava proibida desde o dia 20 de março, quando a Justiça de São Paulo atendeu a um pedido do Ministério Público.

O arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, segue incentivando eventos online, especialmente aos fiéis que são do grupo de risco da Covid-19.

As igrejas poderão reabrir, mas precisarão evitar eventos que gerem aglomerações e respeitar o espaçamento mínimo de 1,5 metros entre pessoas, se não for possível respeitar o distanciamento, o local deverá implantar barreiras entre as estações de trabalho.

Além disso, o local deverá disponibilizar álcool em gel nas entradas e saídas de todos os ambientes, distribuir água, sabão e toalha descartáveis nos sanitários e manter janelas e portas abertas, garantindo uma ventilação no local.

As catedrais também terão que evitar o compartilhamento de utensílios como revistas, jornais, livros e catálogos. Também terão que garantir o fornecimento de máscaras aos colaboradores e a terceiros, se necessário.

Por fim, os colaboradores deverão orientar os fiéis sobre os sintomas da Covid-19, medir a temperatura corporal de frequentadores e, se estiver igual ou superior a 37,5ºC, deverão encaminhar a pessoa a um serviço de saúde.

Comentários

Tops da Gazeta