últimas notícias
Pacote de linguiça fora do prazo de validade
Pacote de linguiça fora do prazo de validade
Foto: Arquivo pessoal

Beneficiários de programa social da Prefeitura de SP dizem ter recebido linguiça e sardinha estragadas

O caso envolvendo o programa Cidade Solidária ocorreu na região de Pirituba, na zona norte de São Paulo

Beneficiários do programa Cidade Solidária, da Prefeitura de São Paulo, disseram ter recebido cestas básicas com linguiças e sardinhas fora do prazo de validade. O caso ocorreu na região de Pirituba, na zona noroeste de São Paulo.

De acordo com moradores, pacotes com linguiça com validade de junho e julho foram entregues no início de agosto nas escolas municipais que fazem a distribuição das cestas para as famílias cadastradas.

Leia mais:

A diarista Cibele Neves da Silva disse, em entrevista ao “G1”, que na escola que foi retirar o produto havia cestas com outros itens estragados: "Quando cheguei lá, eles estavam abrindo a minha [cesta], mas tinha um carrinho de mercado de um lado e aí uma outra moça da diretoria pegou. Tava um cheiro muito ruim, um cheiro horrível. Aí a moça pegou e saiu espirrando perfume pela sala e disse: 'esse cheiro é porque veio duas sardinhas estragadas'", contou.

Uma outra mulher reclamou com os funcionários da escola, e foi informada por uma professora de que as cestas foram repassadas pela prefeitura e que a escola estaria apenas fazendo a distribuição.

A Secretaria Municipal de Educação foi procurada pela reportagem informou que "abrirá processos administrativos para averiguar os procedimentos adotados pela Diretoria Regional e unidades de ensino para a distribuição das cestas básicas" e que, por prevenção, "as unidades que funcionaram como ponto de distribuição foram orientadas a retirar todas as linguiças ou qualquer alimento perecível antes de entregarem a cesta aos beneficiários.".

Cidade Solidária

O programa Cidade Solidária foi lançado em abril deste ano para ajudar as pessoas em situação de extrema vulnerabilidade durante o período da pandemia da Covid-19 na Capital. A iniciativa conta com doações de ONGs, empresas e pessoas físicas.

Comentários

Tops da Gazeta