últimas notícias
Movimentação dos Bombeiros e da Polícia Militar em prédio em que vizinho jogou spray sobre funcionários de uma obra
Movimentação dos Bombeiros e da Polícia Militar em prédio em que vizinho jogou spray sobre funcionários de uma obra
Foto: Reprodução/GloboNews

Homem que jogou gás de pimenta sobre funcionários de obra nos Jardins é reincidente, diz síndico

Além do síndico, o dono da empresa que faz a reforma no apartamento disse que acusado ameaçava os funcionários desde o início da obra

O síndico de um edifício no Jardim Paulista, na zona oeste de São Paulo, onde um morador jogou gás de pimenta em um apartamento com funcionários de uma obra na última segunda-feira (10) disse que não foi a primeira vez que ele fez algo do tipo.

"Ele reclamava, a gente falava que era normal, que poderia fazer a obra, que era permitido fazer uma obra. Ele já tinha usado spray, mas não tinha sido tão grave. A gente já tinha feito as reclamações com ele através de advogado, fizemos boletim [de ocorrência]", afirmou, em entrevista à “TV Globo”.

Já o dono da empresa que faz a reforma no apartamento disse que Wilson ameaçava os funcionários desde o início da obra, há cerca de dois meses.

“Já é a terceira vez que ele aplica esse produto onde a gente está fazendo a reforma. Ele ameaça, já abordou funcionário na porta, já passou cola, já travou e, toda a semana, a gente tem problema com ele. Teve até um funcionário que saiu da empresa por medo desse ocorrido”, disse.

Em entrevista à “Rádio Bandeirantes”, o Major Marcos Palumbo, do Corpo de Bombeiros, explicou que a substância tóxica foi jogada pelo morador por debaixo da porta para paralisar as obras. “Infelizmente, descobrimos que foi de forma proposital. O morador jogou por causa da obra o gás de pimenta, que acabou causando a intoxicação de todo mundo”.

Palumbo informou que um funcionário teve sangramento pelas vias aéreas. Pelo menos 10 viaturas dos Bombeiros e da Polícia Militar foram ao local.

Após jogar o gás por debaixo da porta do apartamento, quatro funcionários passaram mal e foram levados a um hospital da região.

O acusado, Wilson Moreira da Costa, foi levado para uma delegacia da região. Ele foi acusado por portar droga em casa, por lesão corporal e por expor a saúde e a vida de outros a perigo iminente. Todas as vítimas receberam alta médica.

 

Comentários

Tops da Gazeta