últimas notícias
Obras da Linha 17-Ouro, na zona sul da Capital, foram reiniciadas
Obras da Linha 17-Ouro, na zona sul da Capital, foram reiniciadas
Foto: Divulgação/Governo do Estado

Anunciada para Copa de 2014, Linha 17-Ouro agora é prometida para 2022

Governo de SP autorizou o reinício das obras da Linha 17-Ouro, e a programação é entregar a linha em 2022, com quase uma década de atraso

O Governo de São Paulo autorizou nesta quinta-feira a retomada das obras da Linha 17-Ouro, que vai ligar o Aeroporto de Congonhas, na zona sul da Capital, à rede de transporte sobre trilhos de São Paulo. O prazo previsto para a entrega das obras, não havendo interrupções por ordem da Justiça, é em 2022.

Anunciada para estar em operação na Copa do Mundo de 2014, o monotrilho teve o início de suas operações prometido para 2013. Depois, nas gestões Geraldo Alckmin e João Doria (ambos do PSDB), passou para 2014, depois para 2016, fim de 2017, 2018, fim de 2019 e dezembro de 2020. Se tudo der certo, a linha programada para a Copa do Brasil será inaugurada no ano da Copa do Catar. Uma série de quebra de contratos com fornecedores e prestadores de serviço adiou a entrega das obras até hoje.

Leia mais:

Metrô 46 anos: companhia acumula críticas sobre falhas e promessas descumpridas

Nesta quinta, o governador João Doria (PSDB) emitiu a Ordem de Serviço para que a empresa Coesa Engenharia inicie de imediato as atividades para o acabamento da via e de sete estações, retomando assim as últimas atividades pendentes para a implantação da Linha 17. O contrato foi assinado no último dia 26.

“Obra importante porque vai transportar mais de 170 mil pessoas por dia e também pelo impacto da recuperação urbana de toda área, proporcionando a valorização imobiliária, com paisagismo, segurança e uma ciclovia iluminada, sinalizada e interligada com a nova ciclovia do Rio Pinheiros”, afirmou Doria.

De acordo com o governo, agora a construtora irá apresentar o cronograma das atividades que serão executadas. O prazo previsto para a entrega das obras, não havendo óbices judiciais, é em 2022. Esse contrato foi feito para substituir o consórcio que reduziu o ritmo das obras da via e fabricação dos trens, levando o Metrô a rescindir o acordo para destravar o projeto.

Duas novas licitações foram feitas: uma para as obras civis e outra para a fabricação dos trens, sistemas e portas de plataforma, em que as atividades foram retomadas no início de outubro.

A Linha 17-Ouro ligará o Aeroporto de Congonhas com a malha de transporte sobre trilhos de São Paulo. Com 7,7 quilômetros e oito estações – sete em que as obras estão sendo retomadas, além da Morumbi, em fase final de construção, a Linha 17-Ouro terá integrações com a Linha 9-Esmeralda da CPTM na estação Morumbi e com a Linha 5-Lilás do Metrô na estação Campo Belo.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta