últimas notícias
Bruno Covas (PSDB) foi reeleito prefeito de São Paulo em novembro para o segundo mandato
Bruno Covas (PSDB) foi reeleito prefeito de São Paulo em novembro para o segundo mandato
Foto: Eduardo Knapp/Folhapress

Em 1º mandato, Covas cumpre só 29 das 71 metas prometidas para São Paulo

Pior desempenho da gestão Covas ocorreu na área de mobilidade urbana; das seis metas previstas, quatro não foram cumpridas, segundo levantamento

Um levantamento da “Agência Lupa”, empresa de fact-checking especializada em checagem de fatos, dados e declarações, mostra que o prefeito Bruno Covas (PSDB) cumpriu apenas 29 das 71 metas definidas para os anos de 2019 e 2020 pela sua gestão, o equivalente a 41% dos objetivos. Já 30 promessas (42%) feitas pelo tucano não foram cumpridas. Outros 12 itens não puderam ser avaliados, por falta de dados fornecidos pela gestão municipal ou por não estarem disponíveis publicamente.

Em abril de 2019, Covas apresentou uma revisão do Programa de Metas 2017-2020, elaborado no início do mandato do então prefeito João Doria (PSDB), com a promessa de que seriam cumpridas até o fim do mandato.

O pior desempenho da gestão Covas ocorreu na área de mobilidade urbana. Das seis metas previstas, quatro não foram cumpridas. Na habitação, de cinco metas, três não foram concluídas. Na saúde, Covas concluiu duas das sete metas. A atual gestão falhou ainda em seis das 14 metas de zeladoria.

Algumas das promessas descumpridas previam a melhoria da qualidade da educação e da saúde. O plano também foi descumprido na criação de vagas em repúblicas a pessoas em situação de rua, na criação de parques municipais e de uma estrutura turística no centro histórico. O melhor resultado foi na área de gestão, com sete das nove metas cumpridas.

Veja abaixo o que a gestão Covas colocou no papel, mas deixou de cumprir na Capital, de acordo com o levantamento da “Agência Lupa”.

“Implantar 9,4 km de novos corredores de ônibus”
A gestão entregou apenas 300 metros de um corredor de ônibus entre 2019 e 2020, ou apenas 3,2% do total prometido. A promessa original, feita no início do mandato por João Doria, previa a construção de 72 quilômetros de corredores em quatro anos.

“Implantar estrutura turística na região central da cidade conhecida como Triângulo Histórico”
A implantação de uma estrutura turística nessa região do centro avançou pouco durante os últimos dois anos. Há, por exemplo, uma licitação para a troca de calçadões da área, mas a previsão é que o trabalho só vai terminar em agosto deste ano.

“Implantar 173,35 km de infraestrutura cicloviária (ciclovias ou ciclofaixas)”
A prefeitura criou 72,8 quilômetros de ciclovias ou ciclofaixas de janeiro de 2019 até o dia 15 de dezembro deste ano. O valor representa cerca de 42% da meta prometida.

“Aumentar em 40% as saídas com autonomia da população de rua acolhida na rede socioassistencial”
O aumento do número de saídas estava em apenas 16,12% em novembro – menos da metade do resultado prometido pela gestão tucana. Saídas com autonomia acontecem quando os moradores em situação de rua conseguem deixar de viver nessa condição e não precisam mais do atendimento da prefeitura.

“Reduzir em 80% o número de usuários de drogas em logradouros públicos”
Em dezembro de 2018, último mês antes da vigência do Plano de Metas, o número de usuários observados na região da Luz era de 389. Em dezembro de 2020, esse total caiu para 309. De acordo com dados da Secretaria Municipal de Governo, a redução, portanto, no número de usuários de drogas em logradouros públicos na atual gestão foi de 22,3%.

“Entregar 21 mil unidades habitacionais”
A gestão Covas entregou 10.084 unidades habitacionais entre janeiro de 2019 e 6 de novembro de 2020, segundo dados fornecidos pela Secretaria Especial de Comunicação – menos da metade do que foi prometido.

“Reformar ou reequipar 1.150 unidades escolares”
De acordo com lista enviada pela prefeitura, foram reformadas 910 escolas entre 2017 e 2020. Destas, 482 foram concluídas nos anos de 2019 e 2020, ou seja, menos da metade da meta atribuída para o período.

“Reformar ou reequipar 350 unidades de saúde”

Em 2019, segundo a prefeitura, 110 unidades de saúde receberam algum tipo de reforma, de unidades básicas de saúde (UBSs) a laboratórios e unidades de vigilância em saúde. No ano passado, até o primeiro semestre, mais 39 unidades de saúde foram reformadas, em um total de 149 equipamentos entre 2019 e 2020.

“Liberar 5 áreas críticas com concentração histórica de ambulantes”
O Programa de Metas a liberação de cinco áreas críticas com comércio irregular de rua: Triângulo Histórico, Brás, Zona Cerealista, avenida Paulista e o entorno de jogos e eventos com grande público. A equipe da “Agência Lupa” encontrou camelôs nos quatro primeiros pontos, sendo que o quinto, “áreas de grande movimentação (jogos e eventos)”, não pôde ser avaliado em função da pandemia.

 

Comentários

Tops da Gazeta