últimas notícias
Obras na avenida Engenheiro Alberto de Zagottis, na região 
de Santo Amaro, zona sul da capital paulista, estão na reta final
Obras na avenida Engenheiro Alberto de Zagottis, na região de Santo Amaro, zona sul da capital paulista, estão na reta final
Foto: Marcelo Gonçalves/Folhapress

Avenida Zagottis será liberada para tráfego em 18 dias

Depois de 6 anos de obras e transtornos, Prefeitura de São Paulo promete entrega das novas galerias no córrego Zavuvus em 15 de março

Os transtornos aos pedestres e motoristas que passam pela avenida Engenheiro Alberto de Zagottis, na região de Santo Amaro, zona sul de São Paulo, parecem estar perto do fim, depois de seis anos de obras, interdições e paralisações. A Prefeitura de São Paulo informou que vai reabrir em 15 de março o trecho da via entre a rua Professor Campos de Oliveira e a rua Berzélio, sentido Marginal Pinheiros, finalizando os trabalhos das novas galerias no córrego Zavuvus.

De acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb), os funcionários da prefeitura estão terminando as obras de 1.300 metros de novas galerias no córrego Zavuvus, e o trecho da avenida entre a rua Professor Campos de Oliveira e a Praça Acapulco já foi liberado para o tráfego no começo de fevereiro deste ano.

Leia mais:

“Atualmente está interditado apenas o trecho entre as ruas Professor Campos de Oliveira e Berzélio sentido Marginal Pinheiros. A previsão é liberar o tráfego de veículos até 15 de março”, informa a nota da Siurb, após contato da Gazeta.

Segundo a Pasta, “no momento estão em execução as conexões entre a nova galeria e os túneis sob a CPTM, além da ligação entre o antigo canal do córrego Zavuvus com a nova galeria”. A pretensão da gestão municipal é que as obras auxiliem no combate às enchentes na região de Jurubatuba, avenida Engenheiro Alberto de Zagottis e Praça Acapulco.

“A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) monitora o trânsito nas imediações da obra. O trânsito local será preservado no trecho entre as ruas Berzélio e Adão Norberto de Andrade”, finaliza a nota da prefeitura.

Obras intermináveis

As intervenções foram iniciadas pela gestão Fernando Haddad (PT), em dezembro de 2015, mas foram paralisadas em julho de 2017, quando o Tribunal de Contas da União (TCU) apontou problemas nos contratos assinados pela administração anterior. Para concluir as intervenções iniciadas, de acordo com a prefeitura, a Siurb propôs ao TCU um plano de revisão dos contratos das obras, com aprovação de novo projeto executivo e revisão dos custos.

Em agosto de 2019, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou a retomada da obra.

Além dos problemas de alagamentos, os motoristas reclamam que são obrigados a lidar com bloqueios, que trazem problemas aos comerciantes e moradores da região.

A Gazeta mostrou em reportagens em 2017, 2018 e 2019 os problemas de enchente e no trânsito causados pela paralisação da obra. Em março de 2019, o dono de uma oficina mecânica reclamou do desvio.

"Não tem explicação existir esse bloqueio há tanto tempo. Nada justifica esse desgaste aos motoristas para fazerem essa volta toda. Todo mundo reclama da interdição", disse o mecânico, que também destacou que enchentes violentas são constantes na avenida.

O córrego Zavuvus também recebe obras de saneamento pela Sabesp, para ajudar na promessa do governador João Doria (PSDB) de entregar o rio Pinheiro despoluído até dezembro de 2022.

 

Comentários

Tops da Gazeta