últimas notícias
Com mais um ano sem festas juninas, escolas, igrejas e famílias encontraram alternativas para manter as celebrações
Com mais um ano sem festas juninas, escolas, igrejas e famílias encontraram alternativas para manter as celebrações
Foto: Carlauehara

Paulistas encontram alternativas para festas juninas em 2021

Comemorações intimistas, festas híbridas, drive-thru e take-away são algumas das alternativas adotadas para não deixar as celebrações juninas passar em branco

Com quase 500 mil vítimas fatais do novo coronavírus e a vacinação acontecendo a passos lentos, pelo segundo ano consecutivo, as tradicionais festas juninas com quadrilhas, barraquinhas e muita aglomeração, estão riscadas do calendário nacional. Ainda assim, famílias, igrejas e escolas paulistas encontram alternativas para não deixar as celebrações passar em branco.

A gerente de vendas Luciene Hayara, de 37 anos, moradora da cidade de Lins, no interior do Estado, é uma dessas pessoas. Fã das comidas típicas e brincadeiras dessa época do ano, ela costumava frequentar quermesses e festas juninas de escolas antes da pandemia. No ano passado, ela, o marido e a mãe aproveitaram as diversas lives com a temática, mas este ano, ela resolveu apostar em uma comemoração intimista.

Macaque in the trees
Luciene Hayara acreditava que as coisas estariam melhores em junho, como não ocorreu ela fez uma festa com a família - Arquivo pessoal

“Eu acreditava que, a esta altura do ano, poderíamos ter alguma coisa, mesmo que adaptada, com máscara, ao ar livre e menor. Porém, conforme o tempo foi passando e o rumo que as coisas foram tomando, a esperança foi indo embora. Então, junto com a minha irmã, optei por organizar uma festinha em casa, para sete pessoas, com brincadeiras, comidas típicas e o melhor, todos a caráter”, conta Luciene.

Igrejas
Quem não tem o ânimo da gerente de vendas de Lins, mas adora as comidas típicas destas celebrações tem nas festas do tipo “drive-thru” e “take-away” alternativas para não deixar de saborear o arroz-doce, o quentão e o vinho quente.

Macaque in the trees
A igreja do Calvário costumava receber até 60 mil pessoas antes da pandemia - Divulgação

Com uma das festas juninas mais famosas de São Paulo, a Quermesse do Calvário adotou o sistema take-away para manter a celebração. A festa acontece até o dia 03 de julho e teve início no dia 12 de junho, com 200 pedidos vendidos antecipadamente. Antes da pandemia, contudo, a quermesse reunia cerca de 50 a 60 mil pessoas, somados o público dos seis finais de semana do evento, o que gerava um bom faturamento para atender as obras assistenciais da igreja.

Outra festa que costumava ser disputada antes da pandemia era a da Paróquia São João de Brito, no Brooklin. Tradicional desde a década de 1980, o evento costumava reunir de 7 a 8 mil pessoas por final de semana e a exemplo da Igreja do Calvário, a renda era revertida para ações sociais e manutenção do templo religioso.

“Por conta da pandemia, em 2020, adotamos o sistema delivery. Nosso público foi muito receptivo e tivemos uma média de 200 pedidos por fim de semana. Esse ano, além do delivery, é possível retirada no local e esperamos seguir a mesma média de pedidos”, relata a voluntária da igreja, Luciana Migliano de Almeida, que também é membro da Pastoral da Comunicação. O arraial da São João de Brito termina no sábado (26).

Leia Mais

Vai ter São João! Dicas de decoração e de comes e bebes para o arraial em casa

Macaque in the trees
O Colégio Humboldt decorou o estacionamento para o seu drive-thru junino - Divulgação

Escolas
As escolas também adaptaram suas festas juninas em 2021. O Colégio Pio XII, localizado no bairro do Morumbi, em São Paulo, por exemplo, dividiu a festa junina para estudantes do presencial em vários dias, apenas para alunos, e em formato de bolhas, ou seja, cada turma terá o seu próprio evento. No dia 26 de junho, alunos e familiares participarão de forma on-line do arraial, que contará com a entrega de kits e apresentação de um show virtual.

Já o Colégio Humboldt, que fica em Interlagos, na zona sul da Capital, optou por receber as famílias em um drive-thru junino, neste sábado (19). Com aproximadamente 1,1 mil alunos, a escola decorou seu estacionamento e recepcionará os convidados ao som de forró pé-de-serra e vai oferecer um kit junino com doces típicos para a festa continuar em casa. Além disso, a instituição irá arrecadar alimentos não perecíveis e itens de higiene que serão entregues para duas instituições de caridade.

“Enquanto ainda não é possível curtir uma tradicional festa junina, convidamos as famílias para buscar no estacionamento do Colégio, em esquema drive-thru, o kit junino com surpresas típicas que preparamos. Não podemos ‘pular a fogueira’ juntos, mas podemos manter nossos corações aquecidos sempre!”, diz a Comissão de Festas do Colégio.

Macaque in the trees
A Cestinha Arraial é um dos lançamentos da Chocolat du Jour - Divulgação

Empresas não ficam de fora
Além das igrejas e escolas, muitas empresas e negócios aproveitam o mês de junho para lançar produtos típicos ou adaptar os existentes. A Yoki, por exemplo, colocou no mercado dois novos sabores de pipoca: maçã do amor e cocada, enquanto a Quero reuniu um hub de receitas e disponibilizou no site Tudo Gostoso.

A importadora Casa Flora, por sua vez, reuniu alguns itens para incrementar os festejos. Para o arraial, a casa sugere seu arroz carnaroli e a goiabada cremosa para uma releitura do tradicional arroz-doce. A Chocolat du Jour foi além e lançou a coleção Arraial du Jour, que conta com um kit quentão e uma cestinha arraial, entre outros produtos.

Por fim, a plataforma Baskets preparou uma seleção junina, que pode ser adquirida no site e entregue nas regiões de São Paulo, ABC e Alphaville. Entre os produtos disponíveis há bolo de fubá com canela e açúcar, doce de abóbora com coco e bolo de milho.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta