últimas notícias
Estátua de Borba Gato foi incendiada no sábado
Estátua de Borba Gato foi incendiada no sábado
Foto: Reprodução

Borba Gato: Polícia prende entregador por participação em incêndio de estátua

Paulo Galo reclama de prisão ter se estendido à mulher e diz que intenção do ato foi abrir debate sobre estátua de um 'genocida e abusador de mulheres'

Na tarde desta quarta-feira a Polícia Civil de São Paulo prendeu o entregador de aplicativos Paulo Roberto da Silva Lima, o Paulo Galo, uma das pessoas que participaram do incêndio da estátua de Borba Gato, na zona sul da Capital, no último sábado (24).

A prisão foi comunicada nas redes sociais do entregador. Na nota, Galo, que admite participação no incêndio, reclama de a prisão ter sido estendida à mulher dele.

“Gessica sequer estava presente ao ato político do dia 24/07 e tem uma filha de 3 anos de idade com Paulo, também detido nesta data”, diz nota à imprensa divulgada pelas suas redes sociais.

O texto ainda diz que o ato com a estátua teve a intenção de "abrir o debate". "Para aqueles que dizem que a gente precisa ir por meios democráticos, o objetivo do ato foi abrir o debate. Agora, as pessoas decidem se elas querem uma estátua de 13 metros de altura de um genocida e abusador de mulheres".

A assessoria de Lima também informa que a prisão temporária dele foi expedida pela Justiça momentos antes de ele se apresentar ao 11º DP (Santo Amaro), onde prestaria esclarecimentos sobre o incêndio.

Além do pedido de prisão, ainda de acordo com nota à imprensa, a Justiça também concedeu ordem de busca e apreensão de endereços ligados ao suspeito.

Comentários

Tops da Gazeta