últimas notícias
Vacinação em Taboão da Serra
Vacinação em Taboão da Serra
Foto: Ian Freitas/PMTS

Cidade de SP abre xepa de 3ª dose para pessoas a partir de 60 anos

Terceira dose na xepa vale para os moradores na Capital que tomaram a segunda dose há mais de seis meses

A Prefeitura de São Paulo abriu a xepa de terceira dose de vacina na cidade para pessoas a partir de 60 anos e imunossuprimidos -como pacientes que fazem quimioterapia para tratamento de câncer, hemodiálise ou transplantados, por exemplo.

As doses da xepa são aquelas que sobram em frascos abertos, mas não são aplicadas no público-alvo da campanha em horário próximo ao fechamento dos postos de saúde.

Após de abertos os frascos, as doses vencem depois de seis (no caso da AstraZeneca/Oxford e da Pfizer) e oito horas (a Coronavac, da Sinovac/Butantan).

Para ter direito às doses, segundo a Secretaria Municipal da Saúde, é preciso se inscrever no posto de saúde mais perto de casa ou do trabalho, para conseguir chegar rapidamente quando um atendente ligar informando sobre a sobra.

"Pode se inscrever quem mora, estuda ou trabalha na região da unidade. É necessário apresentar comprovante de residência no município. As inscrições podem ser realizadas durante o horário de funcionamento das UBSs e o chamamento é realizado por ordem de inscrição", diz a Secretaria Municipal da Saúde, em nota.

A terceira dose na xepa vale para os moradores na capital que tomaram a segunda dose há mais de seis meses. "É preciso apresentar o comprovante de vacinação com ciclo vacinal completo, documento com foto e comprovante de residência", diz a pasta.

Ainda podem se cadastrar para a aplicação do reforço vacinal, pessoas imunossuprimidas com mais de 18 anos que tomaram a segunda dose ou única há pelo menos 28 dias.

Também há na capital xepa de vacina redução de prazo para segunda dose para qualquer pessoa acima de 18 anos, mas a prioridade para terceira dose e imunossuprimidos.

Apesar da orientação do governo federal para que sejam utilizadas apenas as vacinas da Pfizer e da AstraZeneca como terceira dose, as cidades do estado de São Paulo estão aplicando também a Coronavac. A partir do próximo dia 15, esse reforço deverá ser apenas com Pfizer, segundo o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido.

Na segunda-feira (6), por exemplo, o próprio governo do estado afirmou que 99,2% dos idosos receberam a vacina do Butantan.

Veja como é a prioridade para cada marca de vacina:

Pfizer

Dose adicional de pessoas imunossuprimidas com mais de 18 anos que tomaram a segunda dose ou a única há pelo menos 28 dias Dose adicional de idosos com mais 60 anos que tomaram a segunda dose ou a única há pelo menos 6 meses Adiantamento da segunda dose a partir de 30 dias da data de aplicação da primeira

AstraZeneca

Dose adicional de pessoas imunossuprimidas com mais de 18 anos que tomaram a segunda dose ou a única há pelo menos 28 dias Dose adicional de idosos com mais 60 anos que tomaram a segunda dose ou a única há pelo menos 6 meses Adiantamento da segunda dose a partir de 30 dias da data de aplicação da primeira

Coronavac

Dose adicional de pessoas imunossuprimidas com mais de 18 anos que tomaram a segunda dose ou a única há pelo menos 28 dias Dose adicional de idosos com mais 60 anos que tomaram a segunda dose ou a única há pelo menos 6 meses Adiantamento da segunda dose a partir de 15 dias da data de aplicação da primeira

Vacinação

Atualmente, a cidade de São Paulo vacina adolescentes a partir de 12 anos com a primeira dose e aplica a adicional (terceira dose) a idosos a partir de 90 anos.

Toda a rede estará aberta para a vacinação desses grupos e de todos aqueles que já poderiam, mas não compareceram para tomar suas doses.

As crianças e adolescentes estão sendo vacinados apenas com o imunizante da Pfizer, pois este foi o único liberado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para este público.

Para tomar a vacina, é obrigatório a apresentação de documento de identidade e, preferencialmente, o cartão do SUS, além de um comprovante de residência no município de São Paulo, que pode ser impresso ou digital. No caso dos adolescentes são aceitos documentos em nome dos pais.

Os menores de 18 anos precisam estar acompanhados de pais ou responsáveis.

Comentários

Tops da Gazeta