últimas notícias
Outra fabricante que trabalha na liberação da vacina para crianças é a Pfizer
Outra fabricante que trabalha na liberação da vacina para crianças é a Pfizer
Foto: Isaac Fontana/Folhapress

Coronavac é segura para crianças a partir de 3 anos, diz Butantan

Em estudo divulgado nesta terça-feira, o Instituto afirmou que aplicou o imunizante em cerca de 2 mil jovens e obteve resultados seguros

Após ter solicitado autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Santinária) para aplicar seu imunizante em crianças a partir de 3 anos, o Instituto Butantan divulgou nesta terça-feira (9), resultados preliminares de um estudo em fase três sobre a efetividade da vacina Coronavac em crianças e adolescentes com idade de até 17 anos.

Na pesquisa com pessoas desse grupo realizada na África do Sul, Chile, Malásia e Filipinas, Instituto concluiu que, até o momento, o imunizante se demonstrou totalmente seguro.

Desde outubro de 2021, 2.140 jovens de seis meses a 17 anos participam do estudo, que é multicêntrico, randomizado, duplo-cego e controlado por placebo. Os primeiros resultados mostraram que a vacina tem um bom perfil de segurança entre participantes saudáveis com três a 17 anos – para os mais novos, a pesquisa continua em andamento. 

Os resultados dos dados de segurança revelaram que a incidência de efeitos adversos após a segunda dose da CoronaVac foi muito menor do que quando da primeira dose. Os efeitos adversos locais e sistêmicos envolveram principalmente dor no local da injeção, dor de cabeça e febre. Não ocorreram efeitos adversos graves suspeitos e inesperados.

O estudo fornecerá uma base científica mais sólida para que os países realizem com segurança a imunização de suas crianças e adolescentes contra o SARS-CoV-2. Várias nações, incluindo Chile, Equador, El Salvador, Colômbia, Camboja e Indonésia, já aprovaram o uso de CoronaVac para pessoas saudáveis na faixa de três a 17 anos. Na China, até o final de outubro mais de 110 milhões de doses da vacina do Butantan e da Sinovac foram administradas a menores de 18 anos.

Comentários

Tops da Gazeta