Publicidade

X

Capital

Fux manda Maluf cumprir pena por falsidade ideológica

Ex-prefeito de São Paulo, que já está em prisão domiciliar em processo por lavagem de dinheiro, foi condenado a 2 anos e 9 meses

Matheus Herbert

Publicado em 25/09/2019 às 01:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Em dezembro de 2017, ex-deputado federal Paulo Maluf foi preso por ordem do ministro Edson Fachin / /DIVULGAÇÃO

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o início imediato da execução da pena imposta ao ex-deputado federal Paulo Maluf, de 88 anos, na Ação Penal (AP) 968 pelo crime de falsidade ideológica para fins eleitorais. Os atos da execução foram delegados ao juízo da 4.ª Vara de Execuções Penais de São Paulo.

As informações foram divulgadas pelo Supremo.

Maluf já foi condenado a 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão por crime de lavagem de dinheiro quando exercia o mandato de prefeito de São Paulo (1993/1996).

Em dezembro de 2017, ele foi preso por ordem do ministro Edson Fachin. Em março de 2018, o ministro Dias Toffoli deu a Maluf o benefício da prisão domiciliar humanitária, em razão do estado de saúde debilitado do ex-prefeito.

Neste outro processo, por falsidade ideológica, Maluf foi condenado em maio de 2018 pela Primeira Turma do STF a dois anos e nove meses de reclusão no regime inicial semiaberto, convertido em prisão
domiciliar.

O motivo foi a omissão de R$ 168 mil na prestação de contas de sua campanha para deputado em 2010 apresentada à Justiça
Eleitoral.

Os valores foram pagos pela Eucatex, empresa da família Maluf, a uma gráfica para a confecção de material de campanha.

A defesa do ex-prefeito Paulo Maluf não se manifestou sobre a ordem do ministro Luiz Fux.(EC)

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

FORÇA DA NATUREZA

Veja 6 vídeos de desastres provocados pelo ciclone que atinge o Brasil há 7 dias

Com ventos de mais de 100 km por hora, o fenômeno destruiu estabelecimentos, derrubou outdoors e fez o mar recuar em São Vicente, litoral paulista

Brasil

Mesmo após corte, gasolina segue mais cara no Brasil do que no exterior

Em maio, os preços da gasolina e do diesel atingiram recordes históricos nos postos brasileiros, movimento que culminou com a demissão de dois presidentes da Petrobras em pouco mais de um mês

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software