Publicidade

X
ESPAÇO DO BICHO

"Faro" de cães descobre câncer meses antes do diagnóstico!

O olfato nos cães é como um superpoder: permite sentir o odor de uma folha caindo, de insetos dentro da árvore e até de câncer

Publicidade

Faros dos cachorros é uma espécie de superpoder / Divulgação

Companheiros fiéis e nossos melhores amigos, os cachorros podem salvar vidas! Por meio do olfato apuradíssimo, os cães (treinados) podem detectar vários tipos de câncer em seu estágio inicial. O olfato nos cães é como um superpoder: permite sentir o odor de uma folha caindo, de insetos dentro da árvore ou de gota de sangue numa piscina. Tanto que são essenciais na busca de pessoas desaparecidas!

O câncer é uma modificação biomolecular do corpo humano, por isso exala cheiro, muitas vezes imperceptível para o homem, mas não para os cães, que são capazes de “farejar” a doença presente em amostras de saliva e sangue com quase 100% de precisão. A ação rápida do cachorro na detecção do “cheiro do câncer” permite diagnóstico precoce que, muitas vezes, é crucial para a cura e/ou tratamento. Isso não dispensa os protocolos tradicionais como a mamografia, por exemplo.

Cães treinados ficarão estáticos em frente à amostra que der positivo para o câncer. Sem desgaste, sem ficarem presos, o treinamento é em regime de recompensa, onde ganham petiscos e brinquedos. Vários tipos de câncer são detectados por meio do faro apurado do melhor amigo do homem: pele, bexiga, pulmão, ovários, mama e, recentemente, de osso, o chamado osteossarcoma.

O olfato dos pequenos será a base para o desenvolvimento de métodos de rastreio populacional, não invasivos, para a detecção precoce de vários tipos desses cânceres. Aconteceu em Prestwich, Reino Unido: “Jimmy”, um cão de propriedade da inglesa Amanda Evans-Nash, descobriu que esta tinha nódulo em um dos seios e a avisou farejando o local, batendo com as patinhas e subindo em seu colo com frequência. Ao procurar um médico, foi diagnosticada com câncer de mama. “Não sei o que seria de mim, nem se eu estaria viva se não fosse por Jimmy”.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Nicolas Vlavianos, que criou esculturas no Arouche e na Sé, morre aos 93 anos

Segundo sua filha, Myrine Vlavianos, o artista passou os últimos seis meses entre idas e vindas do hospital

Saúde

Anvisa determina recolhimento do remédio 'Losartana', usado para tratar hipertensão

Produtos devem ser retirados das farmácias em até 120 dias

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software