Publicidade

X

ARTIGO

Sobreviveu ao vírus e morreu de fome

A visão da política brasileira por Nilto Tatto

Luiz

Publicado em 15/06/2020 às 11:28

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

- / Gazeta de S.Paulo

O Brasil possui hoje algo em torno de 5 milhões de unidades familiares agrícolas espalhadas por todo o território nacional. São pequenos produtores responsáveis por 70% dos alimentos que chegam à nossa mesa. Desde os desmontes nas políticas públicas de fomento ao setor iniciadas no governo Temer, muitas destas famílias ficaram impossibilitadas de produzir - aquelas que conseguiram se manter, hoje se veem ameaçadas pelo Coronavírus e pelo governo Bolsonaro.

O desastre é tão grande que anuncia um futuro nebuloso: a chance real do desabastecimento de alimentos, talvez antes mesmo de haver uma vacina para a COVID-19. Sem a possibilidade de comercializar seus produtos, muitos destes pequenos produtores estão precisando de apoio até para receber uma cesta básica. Os estoques de alimentos do governo Federal também minguaram, anunciando o prolongamento da crise para toda a sociedade.

Antevendo uma situação ainda mais trágica, ao menos 21 projetos emergenciais de apoio à agricultura familiar foram protocolados pela bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados. São propostas que contemplam auxílio emergencial para agricultores, feirantes, pescadores, extrativistas, indígenas, quilombolas e ribeirinhos; crédito rural; o resgate do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do sistema e do conselho Nacional de Segurança Alimentar (CONSEA), atenção especial às mulheres entre outras medidas de enfrentamento à pandemia, fomento à produção e distribuição de alimentos.

Todas propostas foram elaboradas em diálogo com as organizações e movimentos sociais, desde o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), passando pela CONTAG; FETRAF; APIB e CONAQ, só para citar algumas delas. E graças a este empenho é que conseguimos pautar o regime de urgência para esta discussão nesta semana, na Câmara dos Deputados. Agora, precisamos resgatar o sentimento que mobilizou a sociedade em defesa da democracia, em defesa da cultura, contra o racismo e o fascismo. Esta é também uma questão de vida ou morte.

*Nilto Tatto é deputado federal pelo PT por São Paulo

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

SEGURANÇA PÚBLICA

Sindicato protesta contra Derrite por exclusão da Polícia Civil de operação em SP

Presidente do sindicato dos delegados disse que decisão de Derrite de dar mais protagonismo à PM em detrimento à Polícia Civil pode 'fragilizar a estrutura policial'

Programa Jovem Aprendiz

Em busca do primeiro emprego? Empresa Raízen está com 240 vagas abertas

Interessados em se candidatar devem ter entre 16 e 21 anos; não é necessário ter experiência prévia

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter