últimas notícias
De olho no Poder
Por Bruno Hoffmann
[email protected]
Deputado estadual Arthur do Val (Patriota) mostra obra inacabada do Complexo Hospitalar Cotoxó, na Pompeia, zona oeste da Capital
Deputado estadual Arthur do Val (Patriota) mostra obra inacabada do Complexo Hospitalar Cotoxó, na Pompeia, zona oeste da Capital

Hospital no bairro da Pompeia prometido para 2014 permanece em obras

De Olho no Poder: os fatos da política de São Paulo na visão do jornalista Bruno Hoffmann

As obras do Complexo Hospitalar Cotoxó, no bairro da Pompeia, zona oeste de São Paulo, voltaram à pauta nesta semana após deputados estaduais terem ido ao local para denunciar a demora para a inauguração da instituição de saúde, que será gerida pelo Hospital das Clínicas. O Governo de São Paulo havia prometido a entrega para a Copa de 2014. No ano passado, a Secretaria Estadual da Saúde anunciou, de forma vaga, o fim dos trabalhos para “o início de 2021”, o que não aconteceu. O deputado Arthur do Val (Patriota) entrou nesta semana com um requerimento de informações para saber em 30 dias os motivos do atraso. “No meio de uma pandemia a obra está parada, mas o governador João Doria gasta R$ 90 milhões com publicidade”, lamentou o parlamentar. O valor inicial do hospital era de R$ 63,4 milhões, mas o investimento já subiu para R$ 72,6 milhões.

Defesa dos taxistas. O vereador paulistano Adilson Amadeu (DEM) permanece em sua cruzada para incluir os taxistas em grupos prioritários de vacinação. Nesta semana, ele enviou um ofício ao secretário municipal da Casa Civil, Ricardo Tripoli, para pedir que R$ 4 milhões de sua emenda parlamentar sejam destinados à vacinação exclusiva da classe. De acordo com o vereador, os taxistas têm uma série de particularidades que deveriam fazer deles como prioritários no plano de imunização municipal, como trabalhar diretamente com o público.

Lei da Anistia. Os vereadores de São Paulo aprovaram por unanimidade, em primeira discussão, o projeto que prorroga o prazo da Lei de Regularização Imobiliária, conhecida como Lei da Anistia. A proposta amplia até 31 de setembro de 2021 a validade da lei, prorrogável por mais 180 dias. A Lei de Anistia permite a regularização de imóveis construídos ou reformados até julho de 2014, antes da última revisão do Plano Diretor Estratégico (PDE).

Spcine. A cineasta e advogada Viviane Ferreira tomou posse como diretora-presidente da Spcine nesta semana, em substituição à também cineasta Laís Bodanzky. Indicada pelo secretário municipal de Cultura, Alê Youssef, a nova diretora prometeu aprofundar o diálogo com o setor audiovisual da cidade de São Paulo. “Existe muita vontade para experimentar e inovar no que for possível e necessário nesse ciclo que se abre em nossas vidas. O diálogo está aberto”.

Aulas presenciais. Segundo dados da Comissão Médica da Educação da Secretaria de Estado da Educação, a volta às aulas presenciais determinada pelo governador de João Doria (PSDB) no início deste ano já resultou em 21 mortes causadas pelo novo coronavírus – as vítimas fatais são 11 profissionais de saúde e dois estudantes de escolas públicas e particulares. “Não faz sentido restringir as medidas de circulação no Estado de São Paulo e, ainda assim, manter as escolas abertas“, criticou a deputada estadual Erica Malunguinho (PSOL).

"Atrás de cada número é uma mãe, um pai, um filho que está sofrendo"

Eloisa Bonfá, diretora do Hospital das Clínicas, durante anúncio das medidas de restrição do Governo de São Paulo para conter o avanço da Covid-19.

Comentários

Tops da Gazeta