últimas notícias
Espaço do bicho
Médico Veterinário, Dr. Edgar toda semana aborda um tema diferente no espaço do Bicho.
[email protected]
Miami usará cães no aeroporto para detectar se turistas estão com Covid -19
Miami usará cães no aeroporto para detectar se turistas estão com Covid -19

Miami usará cães no aeroporto para detectar se turistas estão com Covid -19

Segundo a administração, os cães foram treinados para identificar pelo faro a presença do vírus no suor, na respiração e nos cheiros deixados na proteção facial

Este é o primeiro aeroporto dos Estados Unidos a realizar a medida com animais. Segundo a administração, os cães foram treinados para identificar pelo faro a presença do vírus no suor, na respiração e nos cheiros deixados na proteção facial, isto porque o coronavírus provoca alterações metabólicas no corpo humano.

Quando o cachorro sinaliza alguma mudança no odor, o funcionário ou passageiro deverá fazer um teste rápido de coronavírus. Cobra, um Pastor Malinois, e One Betta, um Pastor Holandês, foram os primeiros cães treinados a participar deste programa. Os cães devem atender a certos padrões e protocolos estabelecidos para serem certificados para o trabalho. O ideal é que os cães sejam de raça pura. Cães sem experiência requerem de dois a três meses de treinamento. Alguns vêm com experiência anterior, como o Cobra, que foi treinado para detectar a murcha do louro, uma doença mortal comum aos abacateiros.

A taxa de precisão do One Betta foi de 98,1%, enquanto a da Cobra foi de 99,4%. Esses cães requerem apenas duas a três semanas para aprender a detectar um novo cheiro. O cão tem capacidade olfativa de 44 vezes superior à do humano. Além de farejar drogas e explosivos, cachorros também são usados para detectar condições médicas, como mudanças no nível de açúcar no sangue, ataques epiléticos, até certos tipos de câncer.

O projeto é uma parceria com o Centro Global de Justiça e Ciência Forense, vinculado à Universidade Internacional da Florida. A iniciativa de impor cães como fiscais partiu do Aeroporto de Miami em parceria com a American Airlines. Embora nos Estados Unidos possam entrar apenas estudantes acadêmicos e jornalistas brasileiros com vistos, já existem indícios de que a partir de novembro deste ano as visitas sejam mais flexíveis ao público.

Comentários

Tops da Gazeta