últimas notícias
Repórter da Terra
Por Nilson Regalado - Colaborador
[email protected]
Agricultor pulverizando agrotóxico
Agricultor pulverizando agrotóxico

Na surdina, Pazuello e Anvisa liberam agrotóxico cancerígeno banido no mundo

As notícias do campo por Nilson Regalado

Enquanto o mundo discutia vacinas contra a epidemia do século, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária e o Ministério da Saúde liberaram o uso de dois venenos agrícolas acusados de provocar câncer e má formação de fetos, entre outras doenças. A decisão da Anvisa e do Ministério comandado pelo general do Exército Eduardo Pazuello vai na contramão de tribunais norte-americanos que condenaram a fabricante do glifosato. Só nos EUA, a empresa responde a 100 mil processos e desembolsará R$ 11 bilhões em indenizações a pessoas que desenvolveram câncer após manipular o produto. O outro veneno liberado foi a abamectina, que provoca má formação fetal severa e convulsões. A licença para uso dos dois agrotóxicos no Brasil estava em revisão havia anos por pressão de setores relacionados à saúde coletiva.

O glifosato já foi banido na Holanda, Suécia, Áustria e no Vietnã. Na Alemanha, passa a ser proibido a partir de 2023 e no México em 2024. A partir de 2021, o governo francês pagará 2.500 euros a cada agricultor que abandonar o uso do agrotóxico. O Parlamento Europeu aprovou a proibição nos 28 países do bloco, mas a decisão vem sendo contestada pelo setor.

Estudo publicado na International Journal of Epidemiology monitorou 315 mil agricultores nos EUA, Noruega e França por dez anos e constatou que o glifosato aumenta em 36% o risco de câncer, especialmente do linfoma não-Hodgkin. O estudo endossou resultados anteriores publicados na Revista Mutation Research, que mostraram que a exposição ao glifosato aumenta o risco de desenvolvimento de linfoma não-Hodgkin em 41%. Estudo feito pelo Instituto Nacional do Câncer na década passada indicou que cada brasileiro ingere, indiretamente, oito litros de agrotóxicos por ano. Mas, o glifosato enriquece fazendeiros brasileiros, especialmente em plantios de soja, milho e algodão, onde é associado às plantas geneticamente modificadas (transgênicos). O veneno elimina o mato sem prejudicar as plantas transgênicas que resistem a seus efeitos. O uso do herbicida comercializado com o nome de Roundup é proibido nas cidades brasileiras. Porém, sem fiscalização, ele acaba sendo usado largamente no meio urbano, especialmente no interior do País...

“Alguma coisa acontece...
Em comemoração aos 467 anos de São Paulo, o Museu do Ipiranga lança nesta segunda-feira a campanha digital “São Paulo – Território em Construção”.

...no meu coração que só quando...
O site reunirá fotos, pinturas e mapas, vídeos e áudios de historiadores, arquitetos e urbanistas que abordam as transformações de SP, desde sua fundação, passando pelo período colonial até chegar à grande metrópole.

...cruza a Ipiranga e a av. São João”.
O material estará disponível em spterritorioemconstrucao.com.br.

Filosofia do campo:
“Desejo a você fruto do mato, cheiro de jardim, namoro no portão, domingo sem chuva, segunda sem mau humor e sábado com seu amor…”. Carlos Drummond de Andrade (1902-1987), poeta mineiro.

Comentários

Tops da Gazeta