últimas notícias
Repórter da Terra
Nilson Regalado traz notícias do campo que influenciam diretamente a vida do consumidor da cidade.
[email protected]
Mulher com contas não pagas e dívidas
Mulher com contas não pagas e dívidas

Conheça os frutos do mês e economize até 30%; destaque é fruta preferida de Pedro II

Depois dos gastos com presentes e viagens no final do ano, janeiro chega com despesas extras como IPVA, IPTU, matrículas e materiais escolares

Depois dos gastos com presentes e viagens no final do ano, janeiro chega com despesas extras como IPVA, IPTU, matrículas e materiais escolares. Portanto, toda economia neste início de ano é bem vinda. E comprar frutas que estejam em plena safra dá um alívio no bolso que pode chegar a 30%. Em janeiro, há muita fartura nos pomares de abacate, abacaxi havaí, ameixa, carambola, cupuaçu, figo, goiaba, graviola, jaca, laranja pera, limão tahiti, mamão formosa, manga palmer, maracujá, nectarina, pêssego, pitaya e sapoti.

Em São Roque, Jundiaí e no Alto Ribeira, é época de abundância nos parreirais de uva niágara rosada.

Porém, o destaque da estação é o marmelo. Natural da Pérsia e da costa do Mediterrâneo, a fruta foi trazida para o Brasil por Martim Afonso na época da fundação da Vila de São Vicente e se tornou importante produto de exportação, antes de o café invadir o interior de São Paulo e de Minas Gerais.

O arbusto de pequenas flores brancas e perfume delicado pertence à família das rosas e tornou-se planta ornamental em chácaras e sítios pelo País afora. A fruta parece com a maçã, mas o amarelo suave da casca lembra a pera. Durante séculos a marmelada encantou brasileiros com seu sabor inconfundível. Era o doce preferido de Pedro II, que comia a fruta cristalizada. Ela foi tão marcante na formação do Brasil que a primeira hidrelétrica da América Latina, inaugurada em 1891 em Juiz de Fora, recebeu o nome de Usina dos Marmelos.

Com o tempo, foi perdendo espaço para outras frutas que foram introduzidas no País, até que quase desapareceu. Hoje, só há pequenos pomares no Rio Grande do Sul e no Goiás, em Minas e SP. Então, aproveite o auge da safra, e experimente um dos sabores que moldaram a culinária brasileira ao longo dos séculos.

Cacau da terra de...

Pela primeira vez na história, três amostras de cacau brasileiro foram premiadas no ‘Cocoa of Excellence’, maior competição do mundo em qualidade do cacau. E o sul da Bahia conquistou ouro e prata, com mãe e filho. Representante da terceira geração de produtores, João Tavares levou a medalha de ouro na categoria América do Sul. O rapaz já havia conseguido três pratas em 2010, 2011 e 2019.

...Gabriela Cravo e Canela...

Outra conquista importante foi a primeira medalha de prata concedida a uma amêndoa produzida no Pará. A Amazônia é o berço do cacau.

...encanta Paris e...

O concurso foi realizado em Paris, no final de dezembro, durante o Salão Internacional do Chocolate. O Cocoa of Excellence teve a participação de 235 amostras das quatro regiões produtoras no mundo: América do Sul; Ásia e Pacífico; América Central e Caribe; e África e Oceano Índico.

...leva medalha de ouro

As amêndoas foram processadas em licor para avaliação sensorial às cegas por 39 especialistas e as 50 melhores foram transformadas em um chocolate amargo com 66% de cacau e 100% de gostosura...

Filosofia do campo:

“Não há nada que eu goste mais do que observar Gabriela. Sabe o que ela me lembra? Uma rosa perfumada num buquê de flores artificiais...”, Jorge Amado (1912/2001), escritor baiano.

Comentários

Tops da Gazeta