últimas notícias

Nilson Regalado

O peixe é uma boa pedida para a época
O peixe é uma boa pedida para a época
Foto: Arte: Gazeta de S.Paulo

Ceia de Réveillon pode ficar mais barata com peixes

Isso pode representar descontos de até 30% em relação aos preços desses mesmos produtos em outras épocas do ano

Se a sua Ceia de Réveillon exige a conjugação do verbo economizar, então, uma boa opção podem ser as frutas, flores e carnes que estão em plena safra. Isso pode representar descontos de até 30% em relação aos preços desses mesmos produtos em outras épocas do ano.

Entre os peixes, alternativa à carestia das carnes bovinas e à mesmice do peru de sempre, é época de agulhão, betara e bonito, manjuba, namorado e tucunaré. Mais nobres, os destaques deste mês são o atum, o xaréu, o polvo e as pescadas amarela e cambucu, opções viáveis em várias receitas.

Acerolas, ameixas nacionais, amoras e cerejas estão em plena safra. Além de decorar a ceia, são saborosas, nutritivas e estão mais baratas em dezembro. Tradicionais, as uvas niágara rosadas estão com a colheita atrasada em importantes regiões do Interior Paulista devido ao clima desfavorável em julho e agosto. Ainda assim, ela continua com preços atrativos, assim como as uvas benitaka, crimson, itália, redglobe, rubi e thompson que estão no auge da colheita.

Tradicionais, o pêssego, o melão e a romã também estão no auge da produção, assim como a lichia.

Se preferir opções mais marcantes, as exóticas peras rocha e a physalis também podem ser encontradas com abundância nestas últimas semanas do ano e com preços convidativos se comparados a outras épocas do ano. As peras rocha surgiram na cidade portuguesa de Sintra, mas já são produzidas também no frio Planalto Catarinense.

A physalis é nativa dos Andes, na América do Sul, é rica em vitaminas e aliada de quem quer emagrecer. Rica em vitaminas, ferro, fósforo e fibras, a physalis ainda é pouco consumida sendo, portanto, alternativa diferente na ceia.

As tuias se transformam em árvores de Natal assim que dezembro chega com seus dias quentes. Essa já é uma tradição, assim como os agapantos e bicos de papagaio, que há décadas decoram mesas e ambientes nesta época. Mas, é possível ousar com mini rosas, branquinhas, dálias, gipysofilas, helicônias, lisianthus e petúnias, que também estão em plena safra.

Vem aí o arroz roxo...

Após anos de pesquisa, cientistas da Universidade do Sul da China apresentaram uma nova variedade de arroz. Produzido através da Engenharia Genética, o novo arroz é rico em antocianinas, que dão coloração roxa ao grão.

...aliado no combate...

Essa característica confere ao arroz branco grande potencial no combate a certos tipos de câncer, doenças cardiovasculares e diabetes.

...ao câncer e ao diabetes.

Até agora, a Engenharia Genética vinha se concentrando em desenvolver variedades de arroz enriquecidas com betacaroteno e ácido fólico, em grãos pretos ou vermelhos. Mas, todo o esforço de enriquecimento nutricional esbarra no hábito de consumir o arroz polido, com a remoção da casca, do farelo e do germe, onde estão a maioria destes ingredientes saudáveis.

Filosofia do campo:

"Não chores porque já terminou, sorria porque aconteceu". Gabriel García Márquez (1927-2014), escritor colombiano.

Comentários

Tops da Gazeta