últimas notícias
Em destaque
Por Pedro Nastri - Colaborador
[email protected]
Pedro Nastri é colunista da Gazeta e âncora na Rádio Trianon 740 AM
Pedro Nastri é colunista da Gazeta e âncora na Rádio Trianon 740 AM

Greve dos caminhoneiros

O jornalista e radialista Pedro Nastri comenta sobre as últimas notícias de São Paulo

Greve dos caminhoneiros I. A greve dos caminhoneiros, prevista para o próximo dia 1º de fevereiro, vem crescendo em adesões e, de acordo com o presidente da Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB), José Roberto Stringasci, poderá ser maior do que a realizada em 2018, devido ao grau crescente de insatisfação da categoria, principalmente em relação ao preço do diesel e às promessas não cumpridas após a histórica greve no governo Temer. Integrante do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), que na semana passada já alertou para a possibilidade de uma paralisação nacional, a ANTB representa cerca de 4,5 mil caminhoneiros, e não vê problema de realizar uma greve em plena pandemia.

Greve dos caminhoneiros II. ”A pandemia nunca foi problema. A categoria trabalhou para cima e para baixo durante a pandemia. Muitos caminhoneiros ficaram com fome na estrada com os restaurantes fechados, mas nunca parou”, afirma Stringasci. Segundo ele, a alta do preço do diesel é o principal motivador da greve, mas conquistas obtidas na paralisação de 2018, que chegou a prejudicar o abastecimento em várias cidades, também estão na lista de dez itens que estão sendo reivindicados ao governo para evitar a greve. “Esse (diesel) é o principal ponto, porque o sócio majoritário do transporte nacional rodoviário é o combustível (50% a 60% do valor da viagem) Queremos uma mudança na política de preço dos combustíveis”, informa.

Suspensão de contratações. O governo de São Paulo decidiu suspender contratações e a realização de concursos públicos ao longo de todo o ano para reduzir despesas com pessoal e encargos em meio à pandemia de covid-19. O anúncio foi feito por meio de decreto e publicado no Diário Oficial do Estado. A alegação foi de que há “necessidade de priorização de recursos para combate à pandemia, considerando, ainda, a deterioração do cenário econômico nacional e, como consequência, da arrecadação tributária”. O decreto estabelece que ficam suspensos, até 31 de dezembro, tanto na administração direta quanto nas autarquias, os concursos públicos em andamento, a admissão de estagiários, as nomeações para cargos públicos e admissões em empregos públicos.

Judicialização. O deputado estadual Fernando Cury (Cidadania) conseguiu uma liminar na Justiça de Brasília para suspender o processo disciplinar interno que corre contra ele no partido. Ele foi acusado de ferir o código de ética da legenda depois de ter tocado nos seios da deputada Isa Penna (PSOL).

Comentários

Tops da Gazeta