últimas notícias
Em destaque
Por Pedro Nastri - Colaborador
[email protected]
Pedro Nastri é colunista da Gazeta e âncora na Rádio Trianon 740 AM
Pedro Nastri é colunista da Gazeta e âncora na Rádio Trianon 740 AM

MP quer dados sobre oxigênio de SP

O jornalista e radialista Pedro Nastri comenta sobre as últimas notícias de São Paulo

MP quer dados sobre oxigênio de SP. O Ministério Público Federal instaurou um procedimento administrativo solicitando que o governo de São Paulo e a Secretaria Municipal da Saúde informem dados sobre o abastecimento de cilindros de oxigênio no Estado e na Capital. No ofício encaminhado o órgão é questionado se existe uma logística de emergência caso o insumo fique em falta; a média de utilização regular; qual foi a média utilizado durante o pico da pandemia em 2020 e a disponibilidade máxima de cilindros de oxigênio atualmente para a necessidade emergencial. O MPF deu prazo de cinco dias para receber retorno das secretarias municipal e estadual.

MP investiga Doria. O Ministério Público de Contas de São Paulo viu irregularidade no âmbito de um procedimento de dispensa de licitação para a compra de 'face shields' pela Secretaria de Saúde do Estado. O procurador Rafael Antônio Baldo aponta suposto sobrepreço na aquisição, alegando que 'o Estado pagou R$ 32 por cada máscara de proteção facial à empresa contratada, que vende, em seu site, exatamente o mesmo produto por R$ 7,90'. Em nota, a Secretaria de Saúde de São Paulo classificou a comparação feita pelo procurador como 'inadequada'. "Os faceshields adquiridos são itens específicos para uso em hospitais, sobretudo para os profissionais que atuam na Unidade de Terapia Intensiva", afirmou a pasta.

Qualidade de vida na Capital I. A percepção de qualidade de vida na cidade de São Paulo diminuiu entre 2019 e 2020, revela pesquisa "Viver em São Paulo: qualidade de vida", realizada pela Rede Nossa São Paulo em parceria com o Ibope Inteligência, e divulgada na última quinta-feira (21). Solicitados a darem notas de 1 a 10 para a qualidade de vida no município, mais paulistanos escolheram entre 1 e 5 (38% dos entrevistados), enquanto a quantidade de 9 e 10 (15%) diminuiu. Notas entre 6 e 8 permaneceram na mesma porcentagem (47%) da população ouvida pelo estudo anterior. Em 2019, a percepção era ligeiramente melhor: 33% escolheram notas entre 1 e 5, 47% ficaram entre 6 e 8, e os 20% restantes deram notas 9 ou 10.

Qualidade de vida na Capital II. Quando perguntados diretamente se qualidade de vida melhorou ou piorou, os paulistanos também apontaram para uma piora em 2020. Do total de entrevistados, 5% afirmaram que melhorou muito (contra 9% em 2019), 14% disseram que melhorou pouco (22% em 2019), 39% avaliaram que a cidade permaneceu estável (41% em 2019), 27% acreditam que piorou pouco (18% em 2019) e 16% consideram que piorou muito (10% em 2019).

Comentários

Tops da Gazeta