últimas notícias
Em destaque
Resumo da semana das notícias mais quentes da cidade de São Paulo com Pedro Nastri, jornalista e apresentador da Rádio Trianon.
[email protected]
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido)
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido)

Coluna do Nastri: Bolsonaro, Lula e Doria lideram rejeição para 2022

Atual presidente terá de enfrentar um alto índice de rejeição, que ultrapassa metade do eleitorado, nas eleições de 2022

Para se reeleger em 2022, o presidente Jair Bolsonaro terá de enfrentar um alto índice de rejeição, que ultrapassa metade do eleitorado e poderá ser um complicador, especialmente em um segundo turno. Dentre os entrevistados pelo Datafolha, 54% dizem que jamais votariam nele. A rejeição do ex-presidente Lula é a segunda maior, com 36%, seguida pelas de João Doria (30%), Luciano Huck (29%), Sergio Moro (26%) e Ciro Gomes (24%). Pouco mais de dois meses após ter seus direitos políticos restabelecidos, Lula lidera a corrida para a Presidência com margem confortável, e alcançaria 41% das intenções de voto no primeiro turno, contra 23% de Bolsonaro. Embolados, aparecem o ex-ministro da Justiça Sergio Moro (sem partido), com 7%, o ex-ministro da Integração Ciro Gomes (PDT), com 6%, o apresentador Luciano Huck (sem partido), com 4%, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que obtém 3%, e, empatados com 2%, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) e o empresário João Amoêdo (Novo).

Gratuidade em transporte

A Justiça de São Paulo restabeleceu a gratuidade de transporte público para passageiros a partir de 60 anos. A decisão anula decreto do governo Doria que limitava, desde fevereiro, o benefício para quem tem 65 anos ou mais. A volta da gratuidade para essa faixa etária não é imediata e o governo de São Paulo ainda pode recorrer. Uma lei estadual de 2013 garante isenção de tarifa nos trens, metrô e ônibus intermunicipais e municipais da cidade de São Paulo para passageiros acima de 60 anos. A gratuidade no transporte público para pessoas com idade entre 60 e 64 anos vigorou até 31 de janeiro de 2021.

Vacina Covaxin

Três mil voluntários devem participar dos testes da vacina indiana contra a Covid-19 Covaxin (BBV152) no estado de São Paulo. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou os testes do imunizante no país. Em todo o Brasil, 4.500 pessoas devem participar do estudo, em cinco estados. Os testes preveem a aplicação de duas doses, com 28 dias de intervalo, e serão feitos com homens e mulheres que tenham 18 anos ou mais. A Covaxin é uma vacina desenvolvida a partir de vírus inativados e que está na fase 3 de testes na Índia, etapa em que a eficácia é verificada. De acordo com a agência Reuters, o país aprovou o uso emergencial do imunizante em meio a críticas sobre a falta de informações sobre sua eficácia.

Paulistanos infectados

Um em cada três moradores da cidade de São Paulo acima de 18 anos já foi infectado pelo vírus da covid-19. Isso é o que demonstra o mais atual inquérito sorológico feito pela prefeitura paulistana. Segundo os dados dessa quinta fase do inquérito sorológico, 33,5% dos moradores da capital paulista já tiveram covid-19, mas o número pode ser ainda maior, chegando a 37,1%. Segundo a prefeitura, esse foi o maior resultado já apresentado na série histórica, que começou a ser feita em junho do ano passado. “É um número altíssimo”, disse o secretário municipal da saúde, Edson Aparecido, ao apresentar os dados.

Contatos para esta coluna: [email protected]

Comentários

Tops da Gazeta