últimas notícias
Em destaque
Resumo da semana das notícias mais quentes da cidade de São Paulo com Pedro Nastri, jornalista e apresentador da Rádio Trianon.
[email protected]
Teste para o coronavírus
Teste para o coronavírus

Coluna do Nastri: Governo de SP anuncia programa de testagem em massa

Além disso, o estado irá orientar os municípios para que os casos positivos sejam isolados e seja feito o rastreamento de contatos

O Governo de São Paulo anunciou para o mês de junho um programa de testagem em massa para frear a disseminação da Covid-19 e garantir uma retomada segura do estado. O programa possui a proposta de usar o teste de antígeno, que fica pronto em 15 minutos e será usado, principalmente, em pacientes assintomáticos. Além disso, o estado irá orientar os municípios para que os casos positivos sejam isolados e seja feito o rastreamento de contatos. O programa possui uma meta de testagem para entender a circulação do vírus e garantir uma retomada segura no Estado de São Paulo.

Vacina Convidecia

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu um pedido de autorização temporária para uso emergencial, em caráter experimental, da vacina contra a Covid-19 chamada Convidecia. O pedido foi feito pela empresa Belcher Farmacêutica, representante do laboratório chinês CanSino Biologics no Brasil. A análise da documentação já foi iniciada. Em março, antes da formalização do pedido, a Anvisa realizou duas reuniões com representantes do laboratório CanSino onde foram apresentados os procedimentos necessários e as informações que a empresa deveria fornecer para a análise. A Agência deve se manifestar em até sete dias úteis, caso todos os requisitos legais tenham sido cumpridos pela empresa solicitante. O imunizante da CanSino é produzido a partir de um adenovírus humano não replicante e é oferecido em apenas uma dose. Os ensaios clínicos da vacina foram desenvolvidos no Paquistão, Rússia, Chile, Argentina e no México.

Aumento na conta de luz

O consumidor brasileiro já deve se preparar para o próximo aumento no seu orçamento mais básico: a conta de luz. Isso acontece porque, com o menor volume de chuvas em mais de 90 anos e os reservatórios das principais hidrelétricas nos menores níveis desde o grande apagão de 2001, o governo está sendo obrigado a acionar volumes vultuosos da energia de reserva do sistema brasileiro, fornecida basicamente por termelétricas. A medida é necessária para que não haja risco de apagão ou racionamento em lugar nenhum nos próximos meses. O problema é que, abastecidas a carvão, gás ou óleo diesel, as térmicas são bem mais caras do que as usinas hidrelétricas, que usam a água dos rios e chuvas de graça –e toda a diferença é cobrada do consumidor, na conta de luz.

Fórmula 1

A Prefeitura de São Paulo se comprometeu a pagar US$ 125 milhões à Fórmula 1 para ter cinco corridas na cidade entre 2021 e 2025. Pela cotação do dia, esse valor supera R$ 660 milhões. Além disso, a administração municipal aceitou como cláusula contratual a contratação, por R$ 100 milhões, sem licitação, de uma empresa recém-criada, que tem donos ocultos, para promover esses cinco GPs. E essa empresa ainda vai ficar com toda a receita de bilheteria. Nessa conta não entram os custos das reformas de Interlagos, exigidas regularmente pela F1, que também vão sair dos cofres da prefeitura, uma vez que o autódromo é municipal.

Contatos para esta coluna: [email protected]

Comentários

Tops da Gazeta