últimas notícias
Em destaque
Resumo da semana das notícias mais quentes da cidade de São Paulo com Pedro Nastri, jornalista e apresentador da Rádio Trianon.
[email protected]
Enfermeira Mônica Calazans recebeu 2ª dose da vacina em 12 de fevereiro; ela foi, oficialmente, a 1ª pessoa a ser vacinada contra a Covid-19 no Brasil
Enfermeira Mônica Calazans recebeu 2ª dose da vacina em 12 de fevereiro; ela foi, oficialmente, a 1ª pessoa a ser vacinada contra a Covid-19 no Brasil

Coluna do Nastri: Enfermeira Mônica Calazans se filia ao MDB

Primeira pessoa a ser vacinada contra a Covid-19 no Brasil é pré-candidata a deputada federal pela legenda

A enfermeira Mônica Calazans, de 55 anos, primeira pessoa no Brasil a ser vacinada contra a Covid-19, filiou-se ao MDB em São Paulo. A informação foi confirmada pelo presidente do diretório estadual do partido, deputado federal Baleia Rossi. Segundo Rossi, a filiação de Mônica ocorreu em São Paulo e foi indicação dele ao partido. Ela é pré-candidata a deputada federal. Moradora de Itaquera, na zona leste da capital paulista, Mônica fazia parte do grupo de risco para a doença e atuou na linha de frente contra Covid-19 no Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Ela foi voluntária da terceira fase dos testes clínicos da CoronaVac realizados no país e tinha recebido placebo.

Economia e eleições

Se as eleições fossem hoje, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teria boas chances de vencer ainda no primeiro turno. É o que aponta a maioria das pesquisas de opinião. E isso depois dos escândalos do mensalão, do petrolão e de 580 dias na cadeia. Para parte da elite, que não simpatiza com o ex-presidente, parece difícil entender. Mas, na verdade, é um fenômeno simples de analisar e consequência direta da Covid-19. A pandemia, que já matou mais de 600 mil brasileiros, deixou um legado de miséria, desemprego e inflação alta. O Brasil ainda tem 13 milhões de pessoas sem trabalho. O IPCA deve fechar o ano com alta perto de 10%. E a economia não cresce há pelo menos dois trimestres. O cenário econômico deve ser fator determinante nas urnas.

Passaporte da vacina

A prefeitura de São Paulo anunciou que passará a exigir comprovante de vacinação contra a Covid-19 para todos os eventos realizados na capital a partir do dia 10 de janeiro. Em nota, o Secretário Municipal de Saúde, Edson Aparecido, afirma que o passaporte será necessário enquanto o número de novos casos da variante Ômicron continuar a subir. De acordo com o secretário, nos últimos sete dias a cidade registrou um aumento de 30% nos casos de Covid-19, e a cepa Ômicron tem 52% de prevalência na cidade. Desde setembro, a capital exigia o comprovante apenas para eventos com mais de 500 pessoas. A utilização de máscaras ainda é obrigatória, e a gestão municipal continua recomendando a higienização de mãos e evitar aglomerações.

Teto do funcionalismo

O teto salarial no funcionalismo público é de R$ 39.293,32, ou seja, nenhum funcionário de todas as esferas do governo (federal, estadual, distrital e municipal), de qualquer um dos Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário), pode ganhar acima desse valor. Na prática, porém, uma série de bonificações e valores extras podem fazer com que os pagamentos aos chamados funcionários de elite cheguem a R$ 100 mil — caso de juízes e promotores –, enquanto a média dos salários no país gira em torno de R$ 2 mil. Segundo levantamento realizado em maio do ano passado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), cerca de 25 mil servidores, ou 0,23% dos 11 milhões que trabalham para todas as esferas públicas, têm salários acima do teto.

Comentários

Tops da Gazeta