últimas notícias
Neymar marcou um dos gols.
Neymar marcou um dos gols.
Foto: LUCAS FIGUEIREDO/CBF

Brasil abre Copa América que não queria jogar e vence desfalcada Venezuela

Os gols foram marcados por Marquinhos, no primeiro tempo, em jogada aérea, Neymar, que converteu pênalti sofrido por Danilo no segundo tempo, e Gabigol

A seleção brasileira estreou neste domingo (13) na Copa América 2021 com vitória diante da Venezuela por 3 a 0. A abertura do torneio que teve o país anunciado como sede há duas semanas foi no estádio Mané Garrincha, em Brasília, e reuniu um time que não queria disputá-la e outro acometido por um surto de Covid-19.

Os gols foram marcados por Marquinhos, no primeiro tempo, em jogada aérea, Neymar, que converteu pênalti sofrido por Danilo no segundo tempo, e Gabigol, em assistência do atacante do PSG.

Os próximos jogos das duas seleções serão na quinta-feira. O Brasil enfrenta o Peru às 21h, no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, enquanto a Venezuela entra em campo três horas antes para enfrentar a Colômbia, em Goiânia.

O primeiro gol do Brasil saiu aos 22 minutos do primeiro tempo a partir de uma jogada aérea que é especialidade tanto do time, quanto do autor do gol, o zagueiro Marquinhos. Neymar cobrou escanteio pelo lado esquerdo do ataque, a bola desviou e sobrou para o zagueiro finalizar de canhota. Um gol de centroavante do zagueiro brasileiro.

Desfalcada de uma série de jogadores por causa da Covid, a Venezuela entrou em campo para se defender e dificultar ao máximo o jogo do Brasil em sua formação alternativa. O time se organizou defensivamente no 5-4-1, enquanto o Brasil atacou no 2-3-5, com praticamente cinco atacantes para criar em pouco espaço.

O jogo ficou bastante travado, muito pela insistência da Venezuela em marcar. Até que Danilo fez tabela com Everton Ribeiro, que tinha entrado há pouco, e sofreu pênalti. Neymar bateu e converteu para definir a vitória.

Ainda deu tempo de o atacante do PSG fazer uma excelente jogada pela esquerda e dar assistência para Gabigol meter o terceiro.

Comentários

Tops da Gazeta