últimas notícias

Acervo

Após ano de críticas, Deyverson e Borja brilham e se completam no Palmeiras

Deyverson tem sido decisivo no Brasileiro, Borja é o artilheiro da Libertadores, e o brilho de cada um tem se completado para manter o time vivo na briga por dois títulos Por Folhapress De São Paulo

Há um ano, era difícil imaginar que o Palmeiras estaria tão bem servido de centroavantes com Deyverson e Borja no elenco. Os dois viviam um momento de baixa, recebiam críticas pelo rendimento em campo e enfrentavam questionamentos pelos altos valores investidos em suas contratações. A realidade atual, porém, é bem diferente: Deyverson tem sido decisivo no Brasileiro, Borja é o artilheiro da Libertadores, e o brilho de cada um tem se completado para manter o time vivo na briga por dois títulos.

A recuperação mais recente é a de Deyverson, que até o meio do ano era hostilizado pela própria torcida no Allianz Parque. O crescimento do camisa 16 com a chegada de Luiz Felipe Scolari foi tão grande que ele marcou seu primeiro gol no ano só em 12 de agosto, decidindo a vitória por 1 a 0 sobre o Vasco no Brasileiro. Desde então, já foram sete gols na competição, fundamentais para impulsionar o Palmeiras para a liderança. Ele também tem sido elogiado pela entrega e pela importância no estilo de jogo do time, já que tem como especialidade ganhar pelo alto as bolas longas lançadas em sua direção.

É sem dúvida a melhor fase Deyverson, que veio do Levante (ESP) por € 5 milhões (à época, R$ 19 milhões), com aporte da Crefisa, e ficou marcado no ano passado por se recusar a bater um pênalti na eliminação diante do Barcelona de Guayaquil (EQU) na Libertadores. Ele terminou a temporada na reserva de Borja, que também fez um 2017 bastante irregular. O colombiano foi a contratação mais cara da patrocinadora palmeirense, tendo custado US$ 10,5 milhões (R$ 32 milhões) após se destacar na Libertadores de 2016 pelo Atlético Nacional (COL).

A primeira temporada de Borja pelo Palmeiras foi decepcionante, com apenas dez gols marcados e muitos jogos apagados. Mas o time alviverde apostou nele para 2018 e foi recompensado. O camisa 9 faz grande ano: já tem 19 gols, foi artilheiro do Campeonato Paulista e é o atual goleador da Libertadores, com nove bolas na rede. Com estilo diferente do de Deyverson, ele não é tão bom quanto o concorrente no jogo aéreo ou no pivô, mas tem infernizado defesas com o chute potente e a força para ganhar jogadas de profundidade.

O momento dos dois centroavantes é tão positivo que mesmo em ótima fase, vindo de dois gols na vitória por 2 a 0 sobre o Grêmio na última rodada do Brasileiro, Deyverson dificilmente ameaça a condição de titular de Borja nas partidas da Libertadores. E como Felipão tem usado praticamente um time diferente em cada competição, consegue dar oportunidades justas e ritmo de jogo a ambos.

Para a partida contra o Ceará, no próximo domingo (21), no Pacaembu, Felipão ainda não definiu quem comandará o ataque alviverde. Deyverson foi titular contra o Grêmio enquanto Borja esteve com a seleção colombiana, e como o Palmeiras pega o Boca Juniors (ARG) na próxima quarta (24), pela semifinal da Libertadores, é provável que ele siga na equipe, para poupar o artilheiro do torneio continental. Seja qual for a escolha, o certo é que o time terá em campo um centroavante que, em 2018, tem correspondido o investimento com desempenho e gols.

Tops da Gazeta