Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
 
Quarta, 26 Dezembro 2018 12:08

Sem Gabigol, Santos tem trio de centroavantes na berlinda para 2019

A saída de Gabriel deixa uma lacuna enorme no elenco e pressiona ainda mais três apostas que ainda não conseguiram virar no Peixe: Rodrigão, Yuri Alberto e Felippe Cardoso
Yuri Alberto fez 16 jogos e balançou as redes apenas duas vezes em 2018 Yuri Alberto fez 16 jogos e balançou as redes apenas duas vezes em 2018 Ivan Storti/Santos FC
Por Folhapress
De São Paulo

Perder o artilheiro do Campeonato Brasileiro traria problemas para qualquer time, mas no Santos a preocupação é ainda maior. A saída de Gabriel, que a princípio retorna para a Internazionale, da Itália, deixa uma lacuna enorme no elenco e pressiona ainda mais três apostas que ainda não conseguiram virar no Peixe: Rodrigão, Yuri Alberto e Felippe Cardoso.

Como a diretoria não avançou em reforços para a posição e ainda recusou a troca de Victor Ferraz por Santiago Tréllez, do São Paulo, esse trio deve iniciar 2019 como as únicas opções para o recém-chegado Jorge Sampaoli. O técnico argentino até se mostra fã do futebol de Yuri, mas precisará de mais. O rendimento deles até aqui sustenta essa necessidade.

Yuri, por exemplo, fez 16 jogos e balançou as redes apenas duas vezes em 2018. Aos 17 anos, experimentou a badalação por ser mais um Menino da Vila, promessa ao lado de Rodrygo. Só que terminou o ano perseguido por críticas, principalmente por gol perdido em derrota por 1 a 0 para o América-MG no Campeonato Brasileiro.

Outro jovem que luta para se firmar é Felippe Cardoso, de 20 anos. Ele foi tirado da Ponte Preta no meio da temporada, passou muito tempo machucado e só teve mais oportunidades na reta final do Brasileirão. Disputou quatro jogos e marcou somente um gol. É uma aposta para o futuro.

Já mais experiente, aos 25 anos, mas não menos questionado é Rodrigão. Contratado pelo Santos em 2016, o centroavante acabou emprestado nas duas últimas temporadas. Neste ano, defendeu o Avaí em 29 partidas pela Série B e marcou oito gols. Com a camisa do Peixe, soma oito tentos em 32 atuações.

Nos grandes momentos de Sampaoli, pela Universidad de Chile e pela seleção chilena, nem sempre um centroavante de ofício foi escalado, o que pode ser uma esperança e uma alternativa para o Santos. Jogadores móveis, como Alexis Sánchez e Eduardo Vargas, eram escolhidos para a função, deixando o ataque mais leve e permitindo trocas de posição para confundir os adversários.

No elenco santista, Rodrygo (vai para o Real Madrid no meio da temporada), Bruno Henrique (na mira de outros clubes brasileiros) e Eduardo Sasha poderiam atuar juntos e proporcionar essa movimentação desejada por Sampaoli no setor ofensivo.

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado