últimas notícias

Acervo

Mulheres acusam Cazares de agressão e acionam PM; jogador alega extorsão

As mulheres alegaram às autoridades que foram agredidas pelo jogador equatoriano durante uma festa promovida na casa dele Por Folhapress De São Paulo

No início da manhã desta segunda-feira (9), duas mulheres acionaram a Polícia Militar de Minas Gerais para fazer uma denúncia contra Juan Cazares, jogador do Atlético-MG. Elas alegaram às autoridades que foram agredidas pelo equatoriano durante uma festa promovida na casa dele. Enquanto isso, o meia acusa as moças de extorsão. A informação foi divulgada pelo jornal "O Tempo" e confirmada pelo UOL Esporte.

Em contato com o UOL Esporte, o Tenente Nasser esclareceu que a PM recebeu um chamado por volta de 6h30 desta segunda e se dirigiu à casa de Cazares, local onde estaria acontecendo uma confraternização. Em depoimento às autoridades, o jogador alegou que percebeu que duas mulheres presentes na festa entraram no banheiro e estariam demorando muito para sair. Assim, o meia pediu para que uma amiga verificasse o que acontecia.

Ainda segundo o relato do jogador à polícia, as mulheres estariam fazendo o uso de drogas ilícitas. Cazares, então, pediu que as duas se retirassem de sua casa. Houve uma confusão já no lado de fora do local, e o meia do Atlético-MG falou que ambas as moças teriam pedido R$ 10 mil para que não contassem nada sobre o ocorrido. De acordo com o equatoriano, ele não aceitou o acordo, porque não teria feito "nada de errado".

À polícia, as mulheres relataram que foram agredidas pelo jogador e por outros três amigos, entre eles uma mulher, que também estavam na festa. Elas, por outro lado, alegaram que o jogador teria oferecido R$ 10 mil para que elas não divulgassem informações sobre o ocorrido. Sem acordo, elas decidiram chamar a PM.

O Boletim de Ocorrência está sendo realizado em Lagoa Santa, na região metropolitana de Minas Gerais. De acordo com o Tenente Nasser, os quatro autores (Cazares e três amigos) e as duas vítimas (as mulheres que acionaram a PM) serão, em breve, chamados para prestarem depoimentos.

Em contato com a reportagem, Cazares não quis comentar o ocorrido: "Agora está tudo bem, estou em casa já", disse o atleta. Representante do Atlético-MG também foi procurado, mas não se manifestou até o momento da publicação da matéria.

Tops da Gazeta