últimas notícias

Vacinas estão em falta na Baixada

As cidades da Baixada Santista estão sofrendo com baixo estoque de vacinas do Calendário Nacional de Vacinação. Em alguns municípios já não há mais doses em estoque, em outros os estoques estão reduzidos. O problema acontece com as vacinas pentavalente (difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite e infecções por HiB), DTP (difteria, tétano e coqueluche) e poliomielite oral.

Em Santos, as três vacinas citadas estão em falta.

As novas doses deveriam chegar no último dia 14, mas não foram entregues. Segundo a Secretaria Saúde do Estado não há previsão de
entrega.

"A última remessa destas doses foi enviada há dois meses pelo Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE), do governo estadual, em quantidade abaixo da necessidade do Município", esclareceu, em nota, a Prefeitura. "A pasta aguarda o repasse para que as unidades possam ser reabastecidas".

Mongaguá enfrenta problema semelhante e já há unidades sem doses destas vacinas. De acordo com a Administração Municipal, havia a expectativa de reabastecimento dos estoques na última terça-feira (18). Porém, a possibilidade foi descartada momentaneamente pelo órgão estadual, sob a alegação de que o Estado também não recebeu as remessas destes
medicamentos.

De acordo com a Diretoria de Vigilância em Saúde de Bertioga, o município está com estoque zerado da vacina contra poliomielite e com baixo estoque da DTP. Já as doses da pentavalente estão com estoque normal. Ainda segundo a Diretoria, não há previsão de reposição por parte do GVE.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde informou que a aquisição e distribuição das vacinas pentavalente, DTP e poliomielite são de responsabilidade do Ministério da Saúde e que o Estado apenas redistribui para os municípios, à medida que os lotes chegam a SP.
(Caroline Souza/DL)

Tops da Gazeta