últimas notícias
Valas com esgoto a céu aberto, em frente as casas dos moradores do Jardim Oásis, em Itanhaém, causam mau cheiro e risco de doenças
Valas com esgoto a céu aberto, em frente as casas dos moradores do Jardim Oásis, em Itanhaém, causam mau cheiro e risco de doenças
Foto: Nayara Martins/DL

Moradores sofrem com esgoto a céu aberto

Valas, mato e esgoto a céu aberto. Essa é a rotina de várias famílias que convivem com esta crítica situação no final da rua João Antonio, no bairro Jardim Oásis, um dos mais populosos de Itanhaém. Essas famílias já recorreram à Prefeitura e ao Poder Legislativo do município, porém, até o momento, não tiveram a solução do problema.

Há 13 anos morando na rua João Antonio, a dona de casa Givalda Dantas Guedes, 57 anos, afirma que o problema piora com as chuvas fortes no local. "Quando vem a chuva, a situação é bem pior, pois aparecem ratos, cobras e sapos em nossas casas. Com as enchentes, a água entra em casa e o esgoto sobe pelo ralo do banheiro", salientou.

Ela contou que alguns moradores instalaram, por conta própria, uma pequena tubulação em frente à casa para o escoamento do esgoto em outra vala. Existe ainda um "valão" que passa atrás das casas dos moradores e deságua no final de outra vala. Além do mau cheiro, os moradores e as crianças correm o risco de pegar diversas doenças.

Givalda explica que já foram feitas diversas reclamações à Prefeitura de Itanhaém e também um abaixo-assinado enviado ao vereador Edinaldo dos Santos Barros (PSDB), na Câmara Municipal. A dona de casa esclarece que, apesar de sua casa estar localizada em uma área de posse, ela paga o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) à prefeitura.

Outro morador que também reclamou é o autônomo Douglas dos Santos Assis, 39 anos, e que mora há 14 anos na mesma rua. "O problema maior é o "valão" que traz o esgoto de outras ruas próximas para a vala no final da nossa rua, já que não existe rede de saneamento básico".

Conforme os moradores, na primeira gestão do atual prefeito Marco Aurélio Gomes (PSDB), a prefeitura garantiu que havia um projeto para a construção de uma praça e que iria transferir as famílias para um conjunto de moradia popular.

Na última quadra da rua, que é sem saída, moram cerca de 20 famílias e 33 crianças, sem calçamento e nem rede de saneamento básico.

Segundo a Prefeitura de Itanhaém, quanto à limpeza do mato a equipe da secretaria municipal de Serviços e Urbanização segue um cronograma de zeladoria nos bairros. Em maio, um mutirão de limpeza e roçada foi realizado no Jardim Oásis. Mas garante que os profissionais retornarão ao local para verificar as condições. A Administração ressalta ainda que está em andamento a assinatura de um convênio entre a Prefeitura e a Sabesp, onde toda a cidade será contemplada com o programa "Onda Limpa", que prevê, num prazo de 30 anos, tratar 100% do esgoto coletado com a ampliação da rede. Conforme o plano de governo, a prefeitura disse que não consta a construção de uma praça na rua João Antônio.
(Nayara Martins/DL)

Galeria de Fotos

Tops da Gazeta