últimas notícias
Segundo o porta-voz da Defesa Civil de Pirapora do Bom Jesus, cerca de 120 pessoas estão desabrigadas após vazão do rio
Segundo o porta-voz da Defesa Civil de Pirapora do Bom Jesus, cerca de 120 pessoas estão desabrigadas após vazão do rio
Foto: Divulgação/Prefeitura de Pirapora do Bom Jesus

Municípios que recebem vazão do rio Tietê têm famílias desabrigadas

A vazão do rio Tietê levou as cidades de Pirapora do Bom Jesus e Salto a decretarem estado de emergência e de atenção, respectivamente

Em Pirapora do Bom Jesus, cidade da região metropolitana de São Paulo, 30 famílias ficaram desabrigadas após as chuvas que atingiram o estado. A cidade vizinha, Salto, a 55 km de Pirapora, também foi afetada e cinco famílias estão desabrigadas.

Ambas as cidades recebem a vazão do rio Tietê, que transbordou e levou as cidades a decretarem estado de emergência (Pirapora) e de atenção (Salto).

De acordo com o porta-voz da Defesa Civil de Pirapora do Bom Jesus, Francisco de Assis Alves Maciel, cerca de 120 pessoas estão desabrigadas.

"Temos escolas onde as concentramos. Elas foram levadas, na região central, para a escola Maria Aparecida Beraldo Gallo, onde foram fornecidos alimentos, cobertores, por exemplo", afirma. A escola Renato Tonolli Brito também foi destacada para receber os desabrigados.

Maciel aponta que o desastre poderia ter sido pior, mas que graças ao mapeamento de áreas de risco e o plano de ação da Defesa Civil, logo que o nível da água do rio começou a subir, as famílias foram evacuadas.

Em Pirapora do Bom Jesus, devido ao estado de emergência em decorrência das chuvas, as aulas em escolas municipais foram suspensas até esta quarta (12), segundo a prefeitura, o volume e a força da água do rio Tietê apresentavam perigo para as pontes que ligam o centro à bairros como Bom Jesus e Vila Nova.

Na manhã desta quarta (12), segundo a prefeitura, o nível do rio baixou e as famílias abrigadas na escola Maria Aparecida puderam voltar para suas casas. Restam, ainda, três famílias na Renato Tonolli.

Até às 10h de terça (11), duas pontes sobre o Tietê eram monitoradas e uma estava interditada "por precaução", segundo a administração municipal.

Os desabrigados de Salto foram acolhidos no Estádio Municipal da cidade.

Em Salto, até a manhã de terça (11), o Parque das Lavras, nas margens do rio, estava interditado, bem como acessos ao Complexo da Cachoeira, onde fica a Ilha dos Amores, Caminho das Esculturas, Parque Natural Ilha da Usina e Memorial do Tietê. O Parque do Lago, na cidade, também foi afetado e, embora não esteja interditado, a prefeitura recomenda evitar o local.

Comentários

Tops da Gazeta