últimas notícias

Estado

Bolsonaro durante reunião com governadores do Sudeste nesta quarta-feira
Bolsonaro durante reunião com governadores do Sudeste nesta quarta-feira
Foto: Marcos Corrêa/PR

Doria e Bolsonaro fazem reunião tensa

Troca de farpas ocorreu durante reunião do presidente com governadores do Sudeste

Em reunião de Jair Bolsonaro (sem partido) com governadores do Sudeste para tratar da crise do novo coronavírus, houve uma dura troca de palavras entre o presidente e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) na manhã desta quarta-feira. As farpas se iniciaram após governador paulista dizer, ao fim do encontro por videoconferência, para Bolsonaro ter “serenidade, calma e equilíbrio”.

"Peço que o senhor tenha serenidade, calma e equilíbrio. Mais do que nunca, o senhor precisa comandar o País”, disse Doria, sem alteração de voz.

Como resposta, Bolsonaro fez duras duras críticas ao tucano. “Subiu à sua cabeça a possibilidade de ser presidente do Brasil. Não tem responsabilidade. Não tem altura para criticar o governo federal”, afirmou. ”Se você não atrapalhar, o Brasil vai decolar e conseguir sair da crise. Saia do palanque”, completou Bolsonaro, ladeado pelos ministros Luiz Henrique Mandetta (Saúde) e Paulo Guedes (Economia).

O presidente continuou, aos berros: "Não aceito em hipótese nenhuma essas palavras levianas, como se vossa excelência fosse o responsável por tudo o que acontece de bom no Brasil".

"[Doria] acusa, levianamente, esse presidente que trabalha 24 horas por dia. Não aceitamos essa demagogia barata. Vossa excelência não é exemplo para ninguém. Senhor governador João Doria, faça sua parte", finalizou o presidente.

Ao fim da reunião, Doria usou o Twitter para dar sua versão, e chamou o comportamento do presidente de “decepcionante”.

“Decepcionante a postura do Presidente Jair Bolsonaro na reunião que tivemos há pouco com Governadores do Sudeste para tratar sobre o combate ao coronavírus. Levamos as solicitações do Governo de SP e nosso posicionamento sobre a forma como a crise deve ser enfrentada. Recebi como resposta um ataque descontrolado do Presidente".

"Ao invés de discutir medidas para salvar vidas, preferiu falar sobre política e eleições. Lamentável e preocupante. Mais do que nunca precisamos de união, serenidade e equilíbrio para proteger vidas e preservar empregos”, disse o governador.

Referindo-se ao polêmico discurso de Bolsonaro na noite de terça-feira (24), Doria falou ainda sobre as consequências da pandemia em São Paulo. “Presidente, no nosso Estado temos 40 mortos por COVID-19 dos 46 em todo o Brasil. São pessoas que tinham RG, CPF, e familiares que continuarão sentindo sua falta. Não são mortos de mentirinha, presidente. E essa não é apenas uma ‘gripezinha’”, finalizou.

Comentários

Tops da Gazeta