últimas notícias
Caraguatatuba inseriu uma barreira sanitária na Rodovia dos Tamoios, logo na entrada da cidade, mas não durou muito
Caraguatatuba inseriu uma barreira sanitária na Rodovia dos Tamoios, logo na entrada da cidade, mas não durou muito
Foto: Divulgação/PMC

Cidades do Litoral de SP restringem acesso de visitantes

Bertioga é a única cidade que não adotou medidas de prevenção ao novo coronavírus

Para diminuir a propagação e disseminação do novo coronavírus no litoral do Estado, veículos com placas de outros municípios estão sendo “convidados” a voltarem aos seus locais de origem. De todas cidades litorâneas, apenas Bertioga não fez algum tipo de controle de acesso nas estradas, apenas nas praias e áreas sujeitas à aglomeração.

Em Guarujá, sete bloqueios na entrada da cidade e nas saídas das travessias de balsas de Santos e Bertioga funcionam 24 horas por dia. Mais de 100 agentes da Guarda Civil Municipal e das diretorias de Trânsito, de Transporte e de Força Tarefa, estão encarregados de fiscalizar todo o acesso. Aqueles motoristas que se recusarem estão sujeitos a remoção do seu veículo ao pátio municipal.

Já em Santos, o controle de acesso a veículos com placas de municípios de fora da Baixada Santista está acontecendo desde o dia 22 de março. Entretanto, o acesso não está restrito a profissionais da saúde e outros serviços essenciais. O controle está acontecendo em três pontos da cidade, na Descida do Elevado da Alemoa, avenida NS de Fátima com Rua Boris Kauffman e Avenida Martins Fontes.

Em São Vicente também não é diferente, agentes de trânsito iniciaram ações de bloqueio nos quilômetros 65 e 66 do Sistema Anchieta-Imigrantes. Na abordagem, motoristas são orientados a retornar às suas cidades. Como em Santos, o acesso não está restrito a profissionais de serviços essenciais. As praias estão interditadas, estabelecimentos comerciais não essenciais estão fechados e o atendimento em hotéis foi interrompido. Vans e ônibus de turismo também estão impedidos de acessar a Baixada Santista.

Em Cubatão, os bloqueios estão acontecendo moderadamente, das 8 às 18h. Motoristas são orientados a voltarem para casa quando não há necessidade de entrada.

Na Praia Grande, os bloqueios acontecem diariamente na avenida Ayrton Senna da Silva. O objetivo da fiscalização é orientar, identificar e verificar o estado de saúde dos visitantes e recomendar o isolamento social. A fiscalização continuará sendo realizada até o fim da quarentena e não possui horário fixo, mas a programação não será divulgada ao público.

Itanhaém possui 27 acessos à cidade e será encaminhado um pedido de apoio na fiscalização dos pontos de acesso ao governo estadual.

Em Peruíbe não está sendo exigido comprovante para entrar na cidade, porém veículos com placas de outro município estão sendo orientados das restrições na cidade, como o fechamento de hotéis e similares.

Mongaguá também está informando os turistas e a população sobre o isolamento social. A Guarda Municipal registrou uma queda do movimento nas estradas.

LITORAL NORTE.

Não existe bloqueios físicos para entrar em São Sebastião, mas há uma recomendação para os turistas não entrarem no município. A entrada de ônibus e vans de turismo também suspensa.

Caraguatatuba inseriu uma barreira sanitária na Rodovia dos Tamoios, logo na entrada da cidade, mas não durou muito, pois o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Dias Toffoli, acatou a decisão do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) de suspender a ação. Então, até o momento, não há um controle na cidade.

Em Ubatuba, há barreiras sanitárias com apoio das equipes de secretarias de Saúde e Segurança Pública, Guarda Municipal, COmtur e Polícias Rodoviárias nos três acessos ao município.

Já em Ilhabela, a restrição é mais rigorosa na balsa de acesso. Funcionários da prefeitura avaliam e decidem se autorizam ou não a entrada ao arquipélago. Para conseguir entrar na cidade, a explicação deve conter muitos detalhes. O morador precisa ter uma vida socioeconômica no arquipélago, como um emprego. Documentos como contrato de aluguel, IPTU e contas de água e luz não são válidos como comprovação de morador.

Comentários

Tops da Gazeta