últimas notícias

Estado

Paciente deu entrada em hospital em Caraguatatuba no último dia 27 e depois foi transferida para a Santa Casa de São José dos Campos (foto)
Paciente deu entrada em hospital em Caraguatatuba no último dia 27 e depois foi transferida para a Santa Casa de São José dos Campos (foto)
Foto: Reprodução Google Street View

Caraguatatuba confirma mais uma morte pelo coronavírus

A Secretaria de Saúde de Caraguatatuba, no Litoral Norte paulista, confirmou na terça-feira (7) a segunda morte provocada pelo novo coronavírus (Covid-19). A vítima é uma mulher de 45 que havia voltado recentemente de um navio de cruzeiro.

A paciente havia concluído um tratamento de câncer e no dia 27 de março deu entrada no Hospital Santos Dumont de Caraguatatuba com o quadro de síndrome respiratória aguda grave, sendo, posteriormente, transferida para a Santa Casa de São José dos Campos.

Seu quadro se agravou e ela faleceu no domingo. O exame havia sido coletado por um laboratório referenciado e foi confirmado na terça. O marido da vítima também está com suspeita da doença e permanece em isolamento domiciliar.

Segundo informações de parentes e amigos, a vítima teria participado de um cruzeiro que saiu da cidade de Santos no começo de março. Todos que tiveram contato com ela estão de quarentena em isolamento domiciliar e passam bem.

A primeira morte foi confirmada na semana passada, quando um homem de 64 anos, morador de Caraguatatuba, também morreu de Covid-19 em São José dos
Campos.

Ele era um paciente diabético, obeso, ex-fumante. Teve suspeita de infarto agudo do miocárdio, chegou a passar por cateterismo, mas seu quadro evoluiu para insuficiência respiratória aguda grave.

Atualmente, o município tem 88 casos notificados dos quais dois foram confirmados (óbitos), 10 descartados e 76 aguardam resultados dos exames, entre eles, mais quatro mortes. Internados são seis pacientes na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulta e quatro em observação na Enfermaria Covid-19 Adulta. Em casa estão 62 pessoas com suspeitas. Conforme a prefeitura, 44 profissionais da Saúde estão na listagem dos casos suspeitos.
(MC)

Tops da Gazeta